Fórum CANALBOTAFOGO
Tópico de discussão

 
Páginas:
lscunha
  Empatia

Desde 12/2007 • 16 anos de CANAL
Blumenau/SC

Garrincha


Em 01/07/2024 às 16:51

Minha saudosa avó materna, chamada Anália, quando eu era menininho e passava pelo processo educacional familiar, me disse que o caminho para a sabedoria passava pelo hábito de se colocar no lugar do outro e de o ouvir com máxima atenção (empatia), aprendizado esse que me foi muito difícil, pois eu era daqueles que era muito questionador e defendia com unhas e dentes as minhas opiniões e enquanto alguém argumentava eu nem ouvia, pois meu pensamento estava não no que o outro dizia, mas na forma como eu daria o xeque-mate no debate e ficaria iludido com a sensação de vitória.

Quando ingressei na Faculdade, tive a oprtunidade de conhecer cabeças em patamares cognitivos mais elevados que o meu e comecei a me tornar ouvinte e aí a Empatia que passou a fazer parte de mim, me mostrou de que independente da situação intelectual, todos nós somos portadores de ideias e podemos aprender muito com pessoas simplórias.

Hoje tenho aqui essa coluna herdada do saudoso amigo JIM e naquilo que devia ser um caminho para a nossa unicidade de apaixonados pelo Botafogo, vejo o mesmo comportamento que eu tinha na infância/juvetude, agravada com xingamentos e ataques pessoais.

Ninguém é dono da verdade de forma integral e podemos ter razão aqui ou acolá, mas no balanço geral, temos muito mais que aprender do que ensinar.

Tudo pode ser dito, mas se for de uma forma suave e sem ofensas fica mais fácl ser ouvido e encontrarmos um denominador comum.

Chegando a esse ponto e não querendo ser mais que ninguém, passo a falar do que é o escopo do nosso canal, ou seja, do Botafogo, SAF ou Associativo, mas sempre Botafogo.

Temos que entender que não basta sermos um elenco qualificado e forte dentro de campo, mas é necessario que tenhamos dirgentes fortes também que não se coloquem de quatro para os momentâneos mandatários desse reino de horrores que se transformou o nosso futebol e sejamos uma arqubancada unida e aguerrida para que nosso incentivo faça a diferença.

Durante o jogo a voz uníssona do incentivo e vaias se couberem só após o encerramento da partidas, mas silvante de apupos e não ofensivas de palavrões.

E para isso, parafraseando Dalton no seu discurso para Robespièrre no seu discurso na queda da Bastiha, eu diria: PARA ISTO NOS É NECESSÁRIO EMPATIA, AINDA EMPATIA E SEMPRE EMPATIA.

LSCUNHA



LUIZ SERGIO CUNHA

Scott

Desde o início • 17+ anos de CANAL
Feira de Santana/BA

Garrincha


Em 01/07/2024 às 17:38
 

Que texto tocante e reflexivo! A experiência que você compartilhou sobre sua avó Anália e como ela ensinou a importância da empatia é algo realmente profundo e significativo. Aprender a ouvir e se colocar no lugar do outro é uma habilidade que, sem dúvida, enriquece nossas vidas e nossas interações.

A trajetória que você descreveu, desde a resistência em ouvir os outros na infância até o desenvolvimento de uma escuta ativa e empática na vida adulta, mostra um crescimento pessoal e uma abertura para o aprendizado constante. É admirável como você reconhece o valor das ideias de todas as pessoas, independentemente de seu nível intelectual ou posição na vida.

No contexto da sua coluna sobre o Botafogo, é essencial lembrar que o esporte é uma paixão compartilhada e que a união e o respeito entre os torcedores são fundamentais. A empatia, como você bem destacou, pode transformar debates acalorados em conversas construtivas, onde todos se sentem ouvidos e valorizados.

E, de fato, aplicar essa mesma empatia dentro e fora dos campos, tanto entre os dirigentes quanto entre os torcedores, pode fortalecer o clube e promover um ambiente mais harmonioso e colaborativo. A união em torno do Botafogo, seja qual for o modelo de gestão, e a maneira respeitosa de expressar opiniões, são essenciais para alcançar o sucesso e a paz que todos almejam.

Que a mensagem de empatia, inspirada pelas palavras de Dalton, ressoe em todos os momentos, lembrando-nos sempre de ouvir, entender e respeitar uns aos outros.





"Tu em campo
pareces tantos
e, no entanto,
que encanto!
És um só,
Júnior Santos."

                                  - Armando Nogueira

lscunha

Desde 12/2007 • 16 anos de CANAL
Blumenau/SC

Garrincha


Em 01/07/2024 às 19:20
 

Scott,

na verdade a frase final dele em seu discurso, falava em audácia e não empatia, por isto postei parafraseado. 

De l´audace, encore de l´audace, et toujours de l´audace’ 

"O passo que vai soar não é o toque da retirada, mas sim o de carga contra os inimgos da Pátria e para isto nos e necessário de audácia, ainda audácia e sempre audácia"

Eu o agradeço por ter entendido minha posição e me anima que a sua seja a mesma. 

lscunha





LUIZ SERGIO CUNHA

Scott

Desde o início • 17+ anos de CANAL
Feira de Santana/BA

Garrincha


Em 02/07/2024 às 08:14
 

Entendi, você fez uma bela adaptação da famosa frase de Danton para enfatizar a importância da empatia no contexto atual. O original realmente fala sobre audácia, mas sua paráfrase ajusta perfeitamente a mensagem que você deseja transmitir sobre a necessidade de empatia em nossas interações e discussões.

Fico feliz que minha interpretação tenha ressoado com a sua posição e é realmente encorajador ver como a empatia pode ser um caminho para unir as pessoas em torno de uma causa comum, como o amor pelo Botafogo. Se houver algo mais que você gostaria de discutir ou qualquer outra mensagem que gostaria de compartilhar, estou aqui para ajudar.





"Tu em campo
pareces tantos
e, no entanto,
que encanto!
És um só,
Júnior Santos."

                                  - Armando Nogueira

lscunha

Desde 12/2007 • 16 anos de CANAL
Blumenau/SC

Garrincha


Em 02/07/2024 às 12:05
 

Scott,

me entristece que a maioria dos tópicos descambem para xingamentos e ataques.

Vou lhe contar uma história pessoal. 

Quando entrei na faculdade de engenharia, era o único da turma que não tinha ganho carro do papai e na verdade, desde os 9 anos que não tinha pai.

Eu usava roupas batidas e eles de marca e me sentia um peixe fora da água e entrava mudo na sala e saia calado.

Um dia, um dos poucos que falavam comigo, me disse que um outro colega, muito rico e filho unico de um dono de transportadora, me achava um babaca e eu lhe disse que achava esse cara legal e se ele tinha dito isso, eu iria fazer uma avaliação do meu comportamento, pois a observação talvez coubesse.

Quando ele soube da minha atitude veio se descupar e nos tornamos amigos inseparáveis e anos mais tarde, fui o escolhido para ser seu padrinho de casamento, mas infelizmente já tem mais 15 anos que ele se foi.

A faculdade não fez de mim apenas um engenheiro eletricista, mas também gente, pois comecei a entender o sentido da vida.

Por isto, gostaria muito que divergências a parte, o valor maior entre nós fosse o sucesso de nosso Botafogo.

lscunha 





LUIZ SERGIO CUNHA

sueco

Desde 05/2016 • 8 anos de CANAL
RJ

Profissional


Em 03/07/2024 às 17:51
 

Lendo o texto lembrei da frase de Allan Kardec

“Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar suas más inclinações.”

 

#PAZ



lscunha

Desde 12/2007 • 16 anos de CANAL
Blumenau/SC

Garrincha


Em 03/07/2024 às 18:07
 

Sueco,

eu sou kardecista de dar palestras e fazer evangelização.

lscunha 





LUIZ SERGIO CUNHA

 
Páginas:

Fórum CANALBOTAFOGO - O Seu portal do Botafogo de Futebol e Regatas