Revelado pelo InternacionalRafael Forster passou anos no exterior, se consolidou na Bulgária, até que acertou com o Botafogo em 2020. O zagueiro admite que precisou de um período para se readaptar ao futebol brasileiro.

– Levei um tempo de readaptação depois de muito tempo jogando fora do Brasil. É um pouco difícil, por mais que acompanhe e saiba como é o futebol brasileiro. Porque é um outro estilo de jogo, uma outra maneira de se comportar dentro de campo. Fico feliz pelas oportunidades e procuro fazer o meu melhor, titular ou vindo do banco – afirmou Rafael Forster, que atuou como volante em algumas partidas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

– Por jogar fora da posição, é mais difícil, a gente corre um pouco mais. Mas os companheiros me ajudaram, me posicionavam. Não foi um problema. Fiquei até mais livre para jogar, para chegar na área do adversário. Contra o Coritiba consegui até dar algumas finalizações. Não vejo com maus olhos essa improvisação. Nada melhor do que um jogador da função atuar ali, mas pode acontecer por opção do treinador – disse ao site “GE”.

Com 30 anos, Rafael Forster é o mais experiente da zaga, que tem ainda Marcelo Benevenuto e Kanu.

PUBLICIDADE

– São dois jogadores espetaculares. Pela idade que têm, a maneira que vêm jogando, com personalidade. O Botafogo está bem servido de zagueiros. São dois garotos muito bons, com idade baixa. A experiência conta em jogos mais difíceis, mas nenhum dos dois sentiu a pressão. Estão jogando bem. Quando eu estava de fora, até comentava que seria difícil conseguir uma vaga ali, porque eles estavam bem. É um mérito para o nosso grupo – finalizou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

Fonte: Redação FogãoNET e GE