Fórum CANALBOTAFOGO
Tópico de discussão

 
Páginas:
lscunha
  Fundamentos decorrentes

Desde 12/2007 • 12 anos de CANAL
Blumenau/SC

Garrincha


Em 12/10/2020 às 11:30

B - FUNDAMENTOS DECORRENTES

São aqueles que só são possíveis de serem executados com a utilização dos membros do corpo

 

B.1 - PASSES E LANÇAMENTOS

Eu considero o passe como o principal fundamento do futebol e para isso me apoio em dois pontos.

O primeiro é que o passe é que torna o jogo coletivo, pois caso contrário seria um jogo individual, que no momento que alguém tivesse a posse da bola, seria irremediavelmente combatido pelos outros 21 jogadores em campo e se perderia essa coisa de ser 11 jogadores contra outros 11 jogadores e todos seriam adversários e nem precisaria de gols, saindo vencedor um único jogador, ou seja, aquele que teve o maior tempo de bola durante o tempo de jogo. Além de se tornar um vale tudo, pois marcações de faltas não teriam serventia.

O segundo é que time que não erra passe, não perde jogo, pois durante suas ações, inúmeras vezes irá acabar com um jogador de cara com o goleiro adversário e por pior que sejam as finalizações, ainda assim alcançarão um número de gols assinalados, que o adversário não terá tempo sequer de igualar, mesmo porque terá uma posse de bola esmagadora e o tempo a seu favor.

O passe pode ser para trás, lateral, diagonal ou vertical, mas o mais importante é que seja feito na maioria das vezes como a melhor opção de segurança, para que seja bem sucedido, no sentido que sua equipe mantenha a posse de bola, mas há de chegar o momento que o mesmo deva ser mais atrevido, no sentido de surgir a oportunidade de contemplar uma infiltração para finalização.

É muito importante que a equipe que esteja com a bola se movimente e que o jogador que esteja com a bola tenha sempre opções de passe em todas as direções e sentidos, pois o mesmo pode se dar com a bola rolando pelo gramado que por conta do atrito lhe diminui a velocidade, a meia altura que é uma ação mais veloz, mas com mais dificuldade de domínio da bola por parte do jogador a quem ela é endereçada e até o mais alto ao qual chamamos de lançamentos que é sempre nas costas dos defensores adversários e não endereçados diretamente ao companheiro, mas ao que se chama de “ponto futuro”, um local mais distante do posicionamento dele, com introdução na mesma de um certo efeito de giro que permitirá a bola ao se encontra com o gramado, sofrer um amortecimento que lhe tira boa parte da velocidade inicial e facilite o domínio da mesma e que o jogador, para o qual a mesma é endereçada a alcance em rápido deslocamento, ficando com a vantagem de já estar à frente da marcação do último adversário e só tendo o goleiro do mesmo pela frente.

Então é preciso treinar todos os tipos de passes, mas para isto é necessário já ter o domínio das técnicas de utilização adequadas dos lados dos pés para execuções dos mesmos e assim sendo, sugiro mais adiante, a leitura atenta sobre os mesmos.

Quando o passe é longo é chamado de lançamento e a capacidade de o executar de forma, às vezes milimétrica, é característica dos grandes meio campistas, pois é através deles que desmontam os esquemas defensivos, pois não há como bloquear os mesmos, quase sempre utilizando o espaço aéreo e explorando a velocidade dos atacantes, quase sempre bem mais rápidos com os defensores e que já se posicionam de forma favorável para iniciarem suas arrancadas para o ponto de endereçamento da bola e por isso tendo a vantagem de um tempo decisivo que é perdido pelos defensores, que por estarem de frente para  bola, precisam girar o corpo antes de iniciarem sua arrancada.

Alguns mestres em lançamentos, imprimem um efeito a bola em seus lançamentos que funcionam quando a bola se impacta com o gramado, a amortecendo e facilitando o domínio da mesma por parte dos atacantes e lhes mantém a supremacia do controle da ação.

Vi grandes mestres nessa arte, mas destaco o Didi e aquele que considero o mais preciso de todos no mundo, que foi o Gérson.

 

B.2 - DOMÍNIO DE BOLA

Um jogador não necessita ser um malabarista com a bola, mas tem que ter uma técnica apurada de domínio da mesma e a primeira ação nesse sentido é saber efetuar a recepção dela ou em outra situação, saber “se encontrar com a bola”.

Vejamos em primeiro a recepção e aqui iremos falar sobre o seu domínio, que se origina naquilo que é chamado de matar a bola, ou seja, efetuar uma ação específica, que a torne “dócil”.

Há quatro tipos de “matadas de bola” no futebol: com os pés, com as coxas, com o peito e com a cabeça.

Todas só são possíveis com a prática da técnica de amortecimento que consiste em ter o tempo preciso de efetuar um movimento de amortecimento no exato instante em que a bola tocará uma das partes citadas com o corpo e tirar sua velocidade através de um movimento rápido e aqui está o truque, não no sentido contrário a trajetória da bola, mas na mesma direção de sua trajetória, porém imprimindo ao membro com o qual fará o domínio, de uma velocidade bem rápida e curta. Se você imprimir uma direção contrária, ela explodirá em sentido contrário ao que vinha, o mesmo acontecendo se apenas a deixar bater, pois o efeito reverso que a faz amortecer, por incrível que possa parecer, se consegue da forma de se movimentar na mesma direção em que ela vai se chocar com o nosso corpo.

As matadas com o pé, para serem perfeitas, devem sempre ser efetuadas com o lado interno do pé e nesse tipo de matada, com a prática e domínio acentuado, se consegue direcionar a bola para o ponto que se deseja, coisa que não se consegue com facilidade para as demais, pois são basicamente de domínio e não para domínio-direcionamento e num segundo momento após obter a posse da bola, aí sim a direcionar para a trajetória que em sequência se queira dar a ela.

 A matada no peito é plasticamente muito bonita, pois a ação da bola de subir e cair amortecida, parece uma reverência da mesma ao autor da matada. Para tal é preciso se posicionar de forma adequada e estufar o peito e o movimento de amortecimento é obtido com a simples contração de fechamento da postura de peito aberto para o fechado, o que demanda um movimento rápido de inclinação do dorso para trás.

Já na matada com a coxa, tanto com a parte interna como com a externa, requer o movimento de deslocamento da mesma através do giro da anca e deve ser muito rápido e nesse caso a postura certa do pé de apoio, o qual não terá contato com a bola é fundamental e poucos, muito poucos jogadores na história do futebol dominaram essa técnica de grande valia, pela dificuldade de sua execução. Para se ter uma ideia sobre essa dificuldade, o último jogador que vi e olha que acompanho futebol pelo mundo dado as ofertas que hoje os canais de televisão nos oferecem, foi o Didi, mas o mestre dessa matada foi o Ipojucan, meio campista de nossa seleção na Copa do Mundo de 1950. Vi um ou outro a efetuar, mas mais por caso fortuito do que por maestria nessa técnica.

 A técnica de matada com a cabeça, muito usado nos primórdios do futebol, já que não se conhecia a matada com o peito, infelizmente caiu em desuso, mas vejo nela um diferencial extraordinário, pois em muitos lances desperdiçados por cabeçadas difíceis de serem executadas como finalização ou como base do passe, se a mesma fosse efetuada, permitiria num segundo momento uma finalização mais conveniente com os pés ou o passe mais preciso também com os pés. Segundo informações que tive ainda menino de meu pai e tios, era que o Leônidas a executava usualmente, mas foi Friendereich seu grande inventor e usuário.

 

B.3 – TABELAS

Essa é uma jogada de troca de passes rápidas e consiste em que está com a bola, a passar para um companheiro e se deslocar rapidamente para um local livre de marcação e a receber de volta. Quando efetuada entre os atacantes nas proximidades da grande área, oferece situações bem favoráveis para finalização sem marcação e até mesmo de infiltração e rompimento do sistema defensivo do adversário. A dupla Pelé e Coutinho se notabilizou por essa jogada e a exerciam de forma perfeita e contumaz.

 

B.4 - CONDUÇÃO DA BOLA

Independente da velocidade que esteja utilizando, a condução da bola deve ser efetuada de tal forme que esteja sempre no alcance de sua próxima passado, pois só assim terá o comando da mesma e impedirá que o adversário a toque, pois a posse de bola é determinante para se alcançar a vitória.

Ela impõe que seja realizada com ambos os pés e treinamentos que habilitem a mesma devem ser praticados.

 



LUIZ SERGIO CUNHA

macau

Desde o início • 12+ anos de CANAL
Brasilia/DF

Juvenil


Em 13/10/2020 às 12:20
 

Muito bom! 

No material que vc produziu há imagens?

E pensar que um monte de jogador erra quase todos esses fundamentos...

  



lscunha

Desde 12/2007 • 12 anos de CANAL
Blumenau/SC

Garrincha


Em 13/10/2020 às 13:49
 

macau,

o stmp fará a diagramação e terá liberdade de ilustrar com desenhos e fotos. 

lscunha 





LUIZ SERGIO CUNHA

 
Páginas:

Fórum CANALBOTAFOGO - O Seu portal do Botafogo de Futebol e Regatas