Fórum CANALBOTAFOGO
Tópico de discussão

 
Páginas:
jjunioriub
  Mais de 1 Bilhão em dívidas, verdade?

Desde 01/2010 • 9 anos de CANAL
Itumbiara/GO

Infantil


Em 10/06/2019 às 08:32

O Emilio disse que o Botafogo tem mais de 1 bilhão em dívidas em um outros tópico, gostaria de 

perguntar, como chegou nesses valores? teve acesso a auditoria? essas cifras são mesmo reais? o ultimo valor que voi apresentado era de 600 e alguma coisa.  

stemp

Desde 02/2008 • 11 anos de CANAL
São Gonçalo/RJ

Garrincha


Em 10/06/2019 às 09:22
 

Não acredito que seja isso tudo, mas é possível sim.



 

 

"Não há futuro com a corrupção sistêmica que destrói nossa democracia, nosso bem estar econômico e nossa dignidade como País"

(Sérgio Fernando Moro - 13/3/2016)

 

 "Quando um governo não respeita as leis, não respeita o povo que deposita nelas as suas esperanças"

(NStemp - 21/12/2012)

 

 

emilio

Desde 11/2009 • 9 anos de CANAL
Belo Horizonte/MG

Garrincha


Em 10/06/2019 às 09:50
 

No  Balanço consta quase R$ 800 mil, nas notas da auditoria fala que não estamos recolhendo o Profut, e corremos o risco de ser excluidos e aí retornariam todos abatimentos que foram obtidos durante o ano. Nas possíveis dívidas trabalhistas consta um previsão de apenas 30 e poucos milhões, só o André Bahia levou mais de 10% disso.

DiegoLaso

Desde 07/2009 • 10 anos de CANAL
Niterói/RJ

Nilton Santos


Em 10/06/2019 às 10:48
 

O profut já está pago até agosto do ano que vem.....

emilio

Desde 11/2009 • 9 anos de CANAL
Belo Horizonte/MG

Garrincha


Em 10/06/2019 às 10:57
 

DiegoLaso disse:
O profut já está pago até agosto do ano que vem.....


Nota explicativa do Balanço Consolidado:

Botafogo de Futebol e RegatasNotas explicativas da administração às demonstrações contábeisconsolidadasEm 31 de dezembro de 2018 e 2017(Valores expressos em milhares de Reais)39(i)A controladora não vem recolhendo o parcelamento do Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro PROFUT(exceto BACEN e FGTS), de que trata a Lei nº 13.155 de 4 de agosto de 2015 e instituiu parcelamento especial para recuperação de dívidas das entidades desportivas com a União Federal. Em outubrode 2016, o Clube impetrou um mandado de segurança nº 0139798-45.2016.4.02.5101, para a utilização de depósitos judiciais com o objetivo de quitar as parcelas imediatamente vincendas no PROFUT. Da leitura da decisão proferida pelo Desembargador Federal Vice-Presidente do TRF2, contudo, está claro que o efeito suspensivo deferido limita-se a impedir a exclusão do clube do PROFUT por inadimplência até que seja julgado em definitivo o pedido constante do mandado de segurança em questão. A homologação formal e definitiva do parcelamento, encontra-se em processo de aprovação pela secretaria da Receita Federal doBrasil (SRF).(ii)De acordo com o Programa Especial de Regularização Tributária junto à Secretaria da Receita Federal do Brasil e à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, no seu Art.daMedidaProvisória783/17,implicará exclusão do devedor do PERT e a exigibilidade imediata da totalidade do débito confessado e ainda não pago e automática execução da garantia prestada a falta de pagamento de três parcelas consecutivas ou seis alternadas. De acordo com o exposto, a controladafoi excluída dos seus parcelamentos.(Ver nota explicativa nº 17 item (iii))



DiegoLaso

Desde 07/2009 • 10 anos de CANAL
Niterói/RJ

Nilton Santos


Em 10/06/2019 às 11:02
 

LANCE!
17/04/2019
12:23
Rio de Janeiro (RJ)

Se no fator esportivo o Botafogo iniciou uma nova etapa na última terça-feira, no administrativo, conseguiu uma vitória através dos tribunais. Isso porque, o clube viu Benedito Gonçalves, ministro do Superior Tribunal de Justiça e relator do processo, deferir um pedido de efeito suspensivo - impetrado pelo Alvinegro - que o permite pagar parcelas do Profut de junho de 2018 a agosto de 2020.

A informação inicial foi publicada pelo site Globo Esporte. O Profut é o programa de refinanciamento das dívidas dos clubes com a União. Cabe lembrar também que o Botafogo, por parte da Procuradoria da Fazenda Nacional e da Receita Federal do Brasil, corria o risco de ser excluído do Profut.

Em suma, a decisão trata-se de uma renovação do efeito suspensivo que já assegurava uma vitória judicial ao Botafogo em julho do ano passado, com as parcelas avaliadas em R$ 1 milhão. Referentes ao patrocínio da Viton 44 (investidora do clube de 2011 a 2014), os R$ 21 milhões que haviam sido penhorados pela União serão utilizados pelo Botafogo para quitar o que deve. 

O Botafogo passa por um grave crise financeira e, atualmente, está em débito quanto ao mês de março com o seu elenco. A entrada dos citados R$ 21 milhões, contudo, não significa embolso para os cofres do Glorioso, mas, sim, que o clube terá que onerar seu caixa com novos recursos em prol da amortização, o que não deixa de ser um alívio para o delicado momento. 



FOGÃO V.R.

Desde 01/2012 • 7 anos de CANAL
Volta Redonda/RJ

Garrincha


Em 10/06/2019 às 11:03
 

O sangue gela nas veias ao ler essas explicações do Emílio.A sensação que dá é de uma represa prestes a estourar.
Que os Moreira Salles cheguem antes.


B.T.O.

Desde 02/2007 • 12 anos de CANAL
Niterói/RJ

Garrincha


Em 10/06/2019 às 11:13
 

Eu não acho improvável não, pelo contrário, acho bem possível. Mas é aquele tal negócio, dívida no papel é uma coisa, se colocar o dinheiro na mes e chamar para conversa vira outra. E grana dos MSales então (que é garantida), vale mais ainda. Daí acredito em uns 40% ao menos de redução se assumirem mesmo.



JÁ FEZ SEU ST? O MEU ESTÁ ATIVO! VAMOS NOS UNIR, SALVAR O BOTAFGO, MOSTRAR AOS FUTUROS INVESTIDORES QUE ACREDITAMOS E VAMOS AJUDAR! SÃO 50 CENTAVOS POR DIA!

Fogoooo!!! Este time só me dá alegrias!!!! 

emilio

Desde 11/2009 • 9 anos de CANAL
Belo Horizonte/MG

Garrincha


Em 10/06/2019 às 11:40
 

Estamos vivendo de efeito suspensivo. Temos um depósito judicial que pode estar garantindo isso e outras coisas. Redução na dívida tributária acho impossível, mas na trabalhista e na civel acho que dá para conseguir, não tenho capacidade para avaliar o quanto.

emilio

Desde 11/2009 • 9 anos de CANAL
Belo Horizonte/MG

Garrincha


Em 10/06/2019 às 11:41
 

DiegoLaso disse:
LANCE!
17/04/2019
12:23
Rio de Janeiro (RJ)

Se no fator esportivo o Botafogo iniciou uma nova etapa na última terça-feira, no administrativo, conseguiu uma vitória através dos tribunais. Isso porque, o clube viu Benedito Gonçalves, ministro do Superior Tribunal de Justiça e relator do processo, deferir um pedido de efeito suspensivo - impetrado pelo Alvinegro - que o permite pagar parcelas do Profut de junho de 2018 a agosto de 2020.

A informação inicial foi publicada pelo site Globo Esporte. O Profut é o programa de refinanciamento das dívidas dos clubes com a União. Cabe lembrar também que o Botafogo, por parte da Procuradoria da Fazenda Nacional e da Receita Federal do Brasil, corria o risco de ser excluído do Profut.

Em suma, a decisão trata-se de uma renovação do efeito suspensivo que já assegurava uma vitória judicial ao Botafogo em julho do ano passado, com as parcelas avaliadas em R$ 1 milhão. Referentes ao patrocínio da Viton 44 (investidora do clube de 2011 a 2014), os R$ 21 milhões que haviam sido penhorados pela União serão utilizados pelo Botafogo para quitar o que deve. 

O Botafogo passa por um grave crise financeira e, atualmente, está em débito quanto ao mês de março com o seu elenco. A entrada dos citados R$ 21 milhões, contudo, não significa embolso para os cofres do Glorioso, mas, sim, que o clube terá que onerar seu caixa com novos recursos em prol da amortização, o que não deixa de ser um alívio para o delicado momento. 


Renovação de efeito suspensivo. Não quitação.


elramo

Desde o início • 12+ anos de CANAL
Rio de Janeiro/RJ

Garrincha


Em 10/06/2019 às 11:43
 

O que o nefasto fez com o Botafogo foi criminoso. Pegou um clube com a dívida equacionada, em torno de 260 milhões e arrebentou  com nossas finanças. Na época eu estimava algo em torno de 1 bilhão. Mas, os dados dos balanços apontam para algo em torno de 800 milhões. Mas, com os esqueletos deixados por esse vagabundo, certamente o montante é em torno de um bilhão mesmo... Infelizmente!   

elramo

Desde o início • 12+ anos de CANAL
Rio de Janeiro/RJ

Garrincha


Em 10/06/2019 às 11:46
 

Porém, para manter a chama de nossa esperança acesa, há possibilidades de sair desse buraco sem fundo a médio prazo. O estudo realizado e já finalizado certamente apontará algumas alternativas viáveis... O milagre é o Botafogo ainda estar vivo, com o quadro atual.

O que virá será simplesmente a concretização de um projeto profissional e altamente provável de dar certo em dois ou três anos... 



DiegoLaso

Desde 07/2009 • 10 anos de CANAL
Niterói/RJ

Nilton Santos


Em 10/06/2019 às 12:44
 

emilio disse:
DiegoLaso disse:
LANCE!
17/04/2019
12:23
Rio de Janeiro (RJ)

Se no fator esportivo o Botafogo iniciou uma nova etapa na última terça-feira, no administrativo, conseguiu uma vitória através dos tribunais. Isso porque, o clube viu Benedito Gonçalves, ministro do Superior Tribunal de Justiça e relator do processo, deferir um pedido de efeito suspensivo - impetrado pelo Alvinegro - que o permite pagar parcelas do Profut de junho de 2018 a agosto de 2020.

A informação inicial foi publicada pelo site Globo Esporte. O Profut é o programa de refinanciamento das dívidas dos clubes com a União. Cabe lembrar também que o Botafogo, por parte da Procuradoria da Fazenda Nacional e da Receita Federal do Brasil, corria o risco de ser excluído do Profut.

Em suma, a decisão trata-se de uma renovação do efeito suspensivo que já assegurava uma vitória judicial ao Botafogo em julho do ano passado, com as parcelas avaliadas em R$ 1 milhão. Referentes ao patrocínio da Viton 44 (investidora do clube de 2011 a 2014), os R$ 21 milhões que haviam sido penhorados pela União serão utilizados pelo Botafogo para quitar o que deve. 

O Botafogo passa por um grave crise financeira e, atualmente, está em débito quanto ao mês de março com o seu elenco. A entrada dos citados R$ 21 milhões, contudo, não significa embolso para os cofres do Glorioso, mas, sim, que o clube terá que onerar seu caixa com novos recursos em prol da amortização, o que não deixa de ser um alívio para o delicado momento. 


Renovação de efeito suspensivo. Não quitação.

Efeito suspensivo referente a outra Ação que possibilitou a compesação desse crédito judicial nas parcelas do profut. A situação é critica e todos sabemos mas querer forçar a barra para parecer ainda pior não é correto.


emilio

Desde 11/2009 • 9 anos de CANAL
Belo Horizonte/MG

Garrincha


Em 10/06/2019 às 12:54
 

DiegoLaso disse:
emilio disse:
DiegoLaso disse:
LANCE!
17/04/2019
12:23
Rio de Janeiro (RJ)

Se no fator esportivo o Botafogo iniciou uma nova etapa na última terça-feira, no administrativo, conseguiu uma vitória através dos tribunais. Isso porque, o clube viu Benedito Gonçalves, ministro do Superior Tribunal de Justiça e relator do processo, deferir um pedido de efeito suspensivo - impetrado pelo Alvinegro - que o permite pagar parcelas do Profut de junho de 2018 a agosto de 2020.

A informação inicial foi publicada pelo site Globo Esporte. O Profut é o programa de refinanciamento das dívidas dos clubes com a União. Cabe lembrar também que o Botafogo, por parte da Procuradoria da Fazenda Nacional e da Receita Federal do Brasil, corria o risco de ser excluído do Profut.

Em suma, a decisão trata-se de uma renovação do efeito suspensivo que já assegurava uma vitória judicial ao Botafogo em julho do ano passado, com as parcelas avaliadas em R$ 1 milhão. Referentes ao patrocínio da Viton 44 (investidora do clube de 2011 a 2014), os R$ 21 milhões que haviam sido penhorados pela União serão utilizados pelo Botafogo para quitar o que deve. 

O Botafogo passa por um grave crise financeira e, atualmente, está em débito quanto ao mês de março com o seu elenco. A entrada dos citados R$ 21 milhões, contudo, não significa embolso para os cofres do Glorioso, mas, sim, que o clube terá que onerar seu caixa com novos recursos em prol da amortização, o que não deixa de ser um alívio para o delicado momento. 


Renovação de efeito suspensivo. Não quitação.

Efeito suspensivo referente a outra Ação que possibilitou a compesação desse crédito judicial nas parcelas do profut. A situação é critica e todos sabemos mas querer forçar a barra para parecer ainda pior não é correto.

IMpossível desenhar aqui. Efeito suspensivo não é pagamento. Ganhamos mais prazo. Situação mais ou menos idêntica a nossa é a do Atlético Mineiro com o caso Bernard, que confiscaram R$ 50 milhões ou mais, e eles ainda esperam a decisão de poder compensar. Temos um dinheiro depositado pela empresa de tubaina, garantindo uma dívida nossa, esse dinheiro tá penhorado pelo fisco, ninguém pode mexer nele, e fica como garantia do débito, até que saia a decisão final do decidido liminarmente. Algo advogado no forum pode te explicar melhor isso.


Pietrantonio

Desde 05/2012 • 7 anos de CANAL
Rio de janeiro/RJ

Garrincha


Em 10/06/2019 às 13:04
 

O clube redirecionou mais de 20 milhões a justiça ao pagamento do produto até agosto de 2020 está pago.



Nao desejo receber mensagens por email. 

Obrigado 

emilio

Desde 11/2009 • 9 anos de CANAL
Belo Horizonte/MG

Garrincha


Em 10/06/2019 às 13:14
 

Pietrantonio disse:
O clube redirecionou mais de 20 milhões a justiça ao pagamento do produto até agosto de 2020 está pago.

Pietro desculpe discordar.. está suspenso a cobrança. Se fosse só este débito teríamos uma certidão positiva com efeitos negativos. Mas está liminarmente suspenso o débito.


DiegoLaso

Desde 07/2009 • 10 anos de CANAL
Niterói/RJ

Nilton Santos


Em 10/06/2019 às 13:27
 

emilio disse:
DiegoLaso disse:
emilio disse:
DiegoLaso disse:
LANCE!
17/04/2019
12:23
Rio de Janeiro (RJ)

Se no fator esportivo o Botafogo iniciou uma nova etapa na última terça-feira, no administrativo, conseguiu uma vitória através dos tribunais. Isso porque, o clube viu Benedito Gonçalves, ministro do Superior Tribunal de Justiça e relator do processo, deferir um pedido de efeito suspensivo - impetrado pelo Alvinegro - que o permite pagar parcelas do Profut de junho de 2018 a agosto de 2020.

A informação inicial foi publicada pelo site Globo Esporte. O Profut é o programa de refinanciamento das dívidas dos clubes com a União. Cabe lembrar também que o Botafogo, por parte da Procuradoria da Fazenda Nacional e da Receita Federal do Brasil, corria o risco de ser excluído do Profut.

Em suma, a decisão trata-se de uma renovação do efeito suspensivo que já assegurava uma vitória judicial ao Botafogo em julho do ano passado, com as parcelas avaliadas em R$ 1 milhão. Referentes ao patrocínio da Viton 44 (investidora do clube de 2011 a 2014), os R$ 21 milhões que haviam sido penhorados pela União serão utilizados pelo Botafogo para quitar o que deve. 

O Botafogo passa por um grave crise financeira e, atualmente, está em débito quanto ao mês de março com o seu elenco. A entrada dos citados R$ 21 milhões, contudo, não significa embolso para os cofres do Glorioso, mas, sim, que o clube terá que onerar seu caixa com novos recursos em prol da amortização, o que não deixa de ser um alívio para o delicado momento. 


Renovação de efeito suspensivo. Não quitação.

Efeito suspensivo referente a outra Ação que possibilitou a compesação desse crédito judicial nas parcelas do profut. A situação é critica e todos sabemos mas querer forçar a barra para parecer ainda pior não é correto.

IMpossível desenhar aqui. Efeito suspensivo não é pagamento. Ganhamos mais prazo. Situação mais ou menos idêntica a nossa é a do Atlético Mineiro com o caso Bernard, que confiscaram R$ 50 milhões ou mais, e eles ainda esperam a decisão de poder compensar. Temos um dinheiro depositado pela empresa de tubaina, garantindo uma dívida nossa, esse dinheiro tá penhorado pelo fisco, ninguém pode mexer nele, e fica como garantia do débito, até que saia a decisão final do decidido liminarmente. Algo advogado no forum pode te explicar melhor isso
emilio disse:
DiegoLaso disse:
emilio disse:
DiegoLaso disse:
LANCE!
17/04/2019
12:23
Rio de Janeiro (RJ)

Se no fator esportivo o Botafogo iniciou uma nova etapa na última terça-feira, no administrativo, conseguiu uma vitória através dos tribunais. Isso porque, o clube viu Benedito Gonçalves, ministro do Superior Tribunal de Justiça e relator do processo, deferir um pedido de efeito suspensivo - impetrado pelo Alvinegro - que o permite pagar parcelas do Profut de junho de 2018 a agosto de 2020.

A informação inicial foi publicada pelo site Globo Esporte. O Profut é o programa de refinanciamento das dívidas dos clubes com a União. Cabe lembrar também que o Botafogo, por parte da Procuradoria da Fazenda Nacional e da Receita Federal do Brasil, corria o risco de ser excluído do Profut.

Em suma, a decisão trata-se de uma renovação do efeito suspensivo que já assegurava uma vitória judicial ao Botafogo em julho do ano passado, com as parcelas avaliadas em R$ 1 milhão. Referentes ao patrocínio da Viton 44 (investidora do clube de 2011 a 2014), os R$ 21 milhões que haviam sido penhorados pela União serão utilizados pelo Botafogo para quitar o que deve. 

O Botafogo passa por um grave crise financeira e, atualmente, está em débito quanto ao mês de março com o seu elenco. A entrada dos citados R$ 21 milhões, contudo, não significa embolso para os cofres do Glorioso, mas, sim, que o clube terá que onerar seu caixa com novos recursos em prol da amortização, o que não deixa de ser um alívio para o delicado momento. 


Renovação de efeito suspensivo. Não quitação.

Efeito suspensivo referente a outra Ação que possibilitou a compesação desse crédito judicial nas parcelas do profut. A situação é critica e todos sabemos mas querer forçar a barra para parecer ainda pior não é correto.

IMpossível desenhar aqui. Efeito suspensivo não é pagamento. Ganhamos mais prazo. Situação mais ou menos idêntica a nossa é a do Atlético Mineiro com o caso Bernard, que confiscaram R$ 50 milhões ou mais, e eles ainda esperam a decisão de poder compensar. Temos um dinheiro depositado pela empresa de tubaina, garantindo uma dívida nossa, esse dinheiro tá penhorado pelo fisco, ninguém pode mexer nele, e fica como garantia do débito, até que saia a decisão final do decidido liminarmente. Algo advogado no forum pode te explicar melhor isso.


Não ganhamos prazo. O crédito judicial existente no processo contra a Viton sequer passará pelas mãos do clube, indo diretamente para o Fisco quando do transito em julgado da referida Ação do clube contra a Viton. Esta no entanto já encontra-se na fase de execução e o dinheiro já encontra-se nas contas judiciais. Esse dinheiro será remetido para o Fisco não cabendo qualquer ação de penhora sobre ele. POSITIVIDADE IRMÃO, SINTO QUE VC PRECISA!   


emilio

Desde 11/2009 • 9 anos de CANAL
Belo Horizonte/MG

Garrincha


Em 10/06/2019 às 14:18
 

Positividade é uma coisa. Fugir a verdade é outra. Desconhecer a verdade é outra. Não entender é outra.

No dia 17 do mês passado, o vice-presidente do clube explicou o que estou tentando explicar. Como não consigo, vou copiar:

 


Como reduzir esse endividamento?

Temos três tipos de dívidas principais, trabalhistas, fiscal (impostos) e as civis, o que conseguimos equacionar até o ato trabalhista, hoje pagamos cerca de R$ 1,7 milhão mensal que sai da quota da Globo, e na parte fiscal temos equacionado com o governo pelo parcelamento do Profut. Temos crédito superior a R$ 20 milhões com a receita e estamos pleiteando abater parcelas do Profut com esse dinheiro. Em 2014, numa situação crítica, havia um contrato de patrocínio a receber e o valor foi penhorado pela Receita na época e está lá preso, rendendo. Essa dívida de R$ 710 milhões precisaríamos de um capital de giro da ordem de 170 milhões. Como conseguir esse dinheiro? De uma forma geral qualquer investidor vai querer garantias, o que poderíamos dar com os contratos a receber no futuro, mas se não elevar as receitas não adiantará, estaremos apenas ganhando tempo. O clube precisa alavancar novas receitas. A distância entre os clubes está cada vez maior em termos de poder econômico. Essa nova distribuição das quotas da televisão referente ao campeonato brasileiro melhorou um pouco, mas não eliminou o problema. Existem ainda as possibilidades de levantar dinheiro por meio de um fundo, algo que exige um fluxo garantido para atrair os investidores. Estamos fazendo o possível, para dar uma ideia, se eu pagar todos os gastos do futebol essa nossa receia ainda permite sobrar 155 milhões, mas esse dinheiro paga todo o resto do clube e entre nosso passado, as dívidas, então chegamos a um balanço negativo.

Grifei.. se saiu alguma decisão após isso não sei, não achei na Internet, não achei no site do Profut, não achei no site do Botafogo, em síntese não achei em lugar nenhum.



 
Páginas:

Fórum CANALBOTAFOGO - O Seu portal do Botafogo de Futebol e Regatas