Fórum CANALBOTAFOGO
Tópico de discussão

 
Páginas:
Nicanor Passos
  O BOTAFOGO E O FAN OF THE FUTURE

Desde 09/2020
Goiânia/GO

Profissional


Em 10/01/2021 às 09:41

O BOTAFOGO E O FAN OF THE FUTURE

“SÓCIO TORCEDOR – Partindo do princípio que teremos mais uma temporada sem torcida, é preciso que o clube pense maneiras atrativas de manter seus sócios em dia. Pensar atrativos que vá além do “ajudar o clube”. Fazer com que o torcedor sinta parte, mesmo à distância, deste processo” (Plinio Perrotta).

Inicio este longo post citando o colunista Plinio Perrota porque, com todo o respeito, parece-me que soa utópico falar em engajamento, união, aproximação do Botafogo com os seus torcedores se o clube não fizer uma pesquisa para identificar todas essas categorias de consumidores – sem prejuízo de também saber, através de pesquisa séria, quais são os percentuais das pessoas pesquisadas que afirmam torcer por apenas um clube, quantos por cento dizer que torcem para dois clubes e qual o percentual dos que afirmam que não torcem para nenhum time de futebol.

Se a nova administração não souber fazer uso dessas ferramentas, o clube continuará a arrecadar a ter a mesma caraminguada arrecadação/mês (seja a título mensalidades pagas por sócios proprietários, seja pelos sócios torcedores adimplentes).

É inadmissível pensar em aumento de sócios quando um clube não sabe, por exemplo, quais são os percentuais dos seus FÃS MODERADOS (torcedores que afirmam seguir o futebol de forma próxima, mas não se identificam como grandes seguidores), FÃS DE GRANDES EVENTOS (aqueles torcedores que se mantêm informados sobre o futebol cotidianamente e cujo interesse aumenta nos grandes jogos e torneios), FÃS OCASIONAIS (os que têm pouco envolvimento emocional e seguem interesses de amigos e familiares), TORCEDORES FIÉIS (torcedores que mantêm uma longa relação emocional com o time do coração, altamente engajados e se identificam com o Botafogo), FANÁTICOS (torcedores que detêm engajamento emocional forte com o clube, que afirmam que o futebol oferece um senso de comunidade e é a chave para sua felicidade, de que são exemplo os membros de torcidas organizadas, mas não os únicos) e, também IMITADORES DE ÍDOLOS (aqueles fãs que preferem jogar a assistir futebol e cujo interesse vai de moderado a grande, mas cuja motivação está associada a jogadores específicos, grandes ídolos, muito mais do que a clubes).

De fato, antes de falar em agregação ou engajamento de torcedores ao programa ST, sem se dar conta de que sentimento coletivo em relação ao Botafogo é o de uma sociedade distópica, ou seja, uma entidade cujos poderes políticos são mantidos por uma minoria, fato que tem levado o clube a conviver, durante anos, em privações financeira e esportiva extremas (elementos indispensáveis para tornar qualquer entidade corruptível).

Não à toa, o que temos visto aqui e noutros blogs é, também, uma distopia no seio da torcida botafoguense que, em sua grande maioria, não consegue imaginar como utopia qualquer tentativa de melhorar o clube. Pode isso? Como como unir, engajar uma torcida que nem mesmo enxerga qualquer tentativa de mudanças no plano do irrealizável; que tende a não se realizar, quimera, sonhos, fantasias?

Tal é o sentimento coletivo da torcida botafoguense: manter-se alheio ao clube, não somente porque nada ou muito pouco poderá fazer para minimizar a situação caótica e de pobreza extrema em que se encontra, porque sente-se na condição de torcedor oprimido, desesperado, privado dos mais elementares acenos de atenção, olhares, afagos.

Se a nova Diretoria do Botafogo pretende provocar ou causar uma disrupção, acabar, interromper o curso normal de um processo de gestão amadora que acompanha o clube desde a sua fundação; apresentar-se para a torcida como quem veio para propor inovações em patamares totalmente diferentes de tudo que até hoje se fez no time que possui o escudo mais bonito do mundo, em relação ao seu único, real patrimônio (os torcedores), um bom começo talvez seria debruçar-se sobre um relatório chamado Fan of the Future: Defining Modern Football Fandom (O Fã do Futuro: Definindo o Fã Moderno do Futebol), publicado pela European Club Association (ECA, Associação de Clubes Europeus).

Se se debruçar sobre o relatório (extenso texto em inglês), fruto de pesquisa realizada por uma organização independente que reúne mais de 200 clubes europeus de futebol - denominada “Associação de Clubes Europeus – ECA” (que, ao meu sentir, seria uma espécie de “Clube dos 13”, mas que funciona), quem estiver preocupado em engajar o torcedor botafoguense terá que, antes de propor qualquer ação midiática, saberá como será o novo torcedor de futebol com a revolução digital com as revoluções digitais que estamos vivendo e, principalmente, nesses tempos de afastamento de público dos estádios (não apenas pela pandemia, mas em períodos pré e pós Covid); saberá sobre a existência de um padrão comportamental em relação aos fãs de futebol, que varia conforme país, idade e engajamento.

De forma resumida, assim contido no relatório: 27% são Fãs Moderados, 19% são os chamados Fãs de Grandes Eventos, 19% são Fãs de Ocasião, 14% são os Torcedores Fiéis, 11% Torcedores Fanáticos e 11% são apenas Imitadores de Ídolos.

O fato é que, para apresentar um relatório conclusivo, foram ouvidos 14 mil torcedores de sete mercados, abrangendo países europeus (Grã-Bretanha, Espanha, Alemanha, Holanda e Polônia) e dois países não situados na Europa: Brasil e Índia.

 

As idades dos entrevistados variaram entre 8 e 64 anos. De qualquer modo, chama a atenção o fato alarmante a seguinte constatação: Quando a modalidade esportiva é projetada para o futuro: 40% dos entrevistados com idades entre 16 e 24 anos afirmaram não ter interesse algum por futebol!

 

Mais grave, ainda, a pesquisa aponta que “os fãs mais jovens demonstram forte tendência em torcer por clubes que não sejam de seu próprio país, numa proporção de alcança 36% na faixa entre 16 e 24 anos”.

 

E para que o leitor não alegue, por exemplo, que “a pesquisa é muito genérica”, ou que “no Brasil a realidade é diferente” (com o que não concordo, mesmo respeitando as opiniões em contrário), no caso brasileiro, consta no relatório o seguinte resultado da pesquisa: 14% de Fanáticos, 15% de Torcedores Fiéis, 12% são Imitadores de Ídolos, 24% são Fãs Moderados, 19% são Fãs de Grandes Eventos e 16% são Fãs de Ocasião.

O relatório, mostra, ainda que, no Brasil, 43% dos pesquisados afirmaram que torce, por apenas um clube de futebol, 45% são torcedores de dois times e 12% não torcem para nenhum time de futebol.

Fato interessante (observado pelo colunista Maurício Noriega) diz respeito ao envolvimento do público ou fãs em relação à mídia: “embora assistir a jogos de futebol em casa pela TV ainda seja a principal forma de engajamento (82%), quanto mais jovem este fã moderno de futebol, menos ele gosta de assistir jogos ao vivo. Ele prefere conteúdo mais curto e por demanda, como melhores momentos e grandes jogadas”.

Segundo Noriega (ante o meu incipiente, sofrível inglês, acredito na tradução dele), “o perfil do fã mais jovem que vem à luz através da pesquisa mostra que ele assiste futebol de forma diferente do torcedor, digamos, antigo. Frequentemente torce para mais de um clube, se interessa pelo estilo de jogo do time e busca identificar seus valores nos clubes que segue. Basicamente, este “novo” torcedor espera mais do seu clube do que apenas ser um time de futebol.”

Apesar do longo texto, “para o bom entendedor, meia palavra basta”, simplesmente, “quem avisa, amigo é!”

FONTE: https://www.ecaeurope.com/media/4802/eca-fan-of-the-future-defining-modern-football-fandom.pdf

Cadu

Desde o início • 12+ anos de CANAL
Rio de Janeiro/RJ

Garrincha


Em 10/01/2021 às 09:59
 

Muito interessante.

Nicanor Passos

Desde 09/2020
Goiânia/GO

Profissional


Em 10/01/2021 às 10:19
 

Cadu disse:
Muito interessante.

A maior dificuldade foi traduzir a pesquisa com meu inglês precário. Mesmo que a ajuda de uma amiga, que fala inglês fluentemente, tivemos que buscar auxílio na publicação Noriega. Mas acho que a pesquisa pode ajudar o Botafogo.


Nicanor Passos

Desde 09/2020
Goiânia/GO

Profissional


Em 10/01/2021 às 10:20
 

Nicanor Passos disse:
Cadu disse:
Muito interessante.

A maior dificuldade foi traduzir a pesquisa com meu inglês precário. Mesmo que a ajuda de uma amiga, que fala inglês fluentemente, tivemos que buscar auxílio na publicação Noriega. Mas acho que a pesquisa pode ajudar o Botafogo.

com a ajuda (e não "que a ajuda")


Mineirow@hotmail.com

Desde 09/2013 • 7 anos de CANAL
zona rural/MG

Garrincha


Em 10/01/2021 às 10:46
 

Eu não falo mais nada, só observo.



Botafogo, do 'CEO' ao inferno em 15 dias.

 

Mineiro♣

 

 

 

andreadz

Desde 08/2012 • 8 anos de CANAL
Rio de Janeiro/RJ

Nilton Santos


Em 10/01/2021 às 11:48
 

Saiu no globo?

Nicanor Passos

Desde 09/2020
Goiânia/GO

Profissional


Em 10/01/2021 às 12:24
 

andreadz disse:
Saiu no globo?

Sim. A inspiração saiu da matéria extraída do blog do Noriega, no GE... (rsrs).


andreadz

Desde 08/2012 • 8 anos de CANAL
Rio de Janeiro/RJ

Nilton Santos


Em 10/01/2021 às 12:38
 

hauahuha
 
é boa, deveria ser o básico desde mt tempo atrás, minha opinião que ainda há tempo para os outros times, exceto Botafogo


elramo

Desde o início • 12+ anos de CANAL
Rio de Janeiro/RJ

Garrincha


Em 10/01/2021 às 13:38
 

Tópico excelente. Muito esclarecedor... A nova gestão deveria olhar com atenção os pontos aborados nesse texto. 

 
Páginas:

Fórum CANALBOTAFOGO - O Seu portal do Botafogo de Futebol e Regatas