Fórum CANALBOTAFOGO
Tópico de discussão

 
Páginas:
lfelipedp
  OFICIALIZAR O "CLUBE-VITRINE" - alternativa futura?

Desde o início • 12+ anos de CANAL
RJ

Mirim


Em 22/04/2021 às 14:23

Observo alguns clubes europeus sobrevivendo às custas de uma tosca condição de vitrine: servem pra expor jogadores pra revenda, visando somente obtenção de lucros às custas de eliminar toda e qualquer chance de ter algum protagonismo em suas respectivas ligas.

Pensando aqui, será que não seria um caminho melhor, pro Botafogo, oficializar e "regulamentar" esse processo?

Explico: ao invés da relação obscura e simbiótica entre diretoria e uma meia dúzia de empresários que ocorre hoje, por que não firmar uma parceria com algum investidor ou mecenas em que o sujeito contrata a partir de outro clube (fantasia, comprado, recém criado - à la Tombense de Uram), PAGA O SALÁRIO DO ATLETA e o Botafogo apenas lhe cede espaço pra jogar mediante empréstimo sem ônus?  

Isso livraria o investidor de perder dinheiro na República de Piscineiros do clube social, assim como o manteria longe de um CNPJ podre.

Como contrapartida, o BFR NÃO CONTRATA ATLETAS POR OUTRO MEIO , E TODO DINHEIRO QUE ENTRA (TV, INGRESSOS, SÓCIOS, PRODUTOS, PATROCÍNIOS) IRIA PRA QUITAR DÍVIDAS E CUSTOS BÁSICOS. Isso possibilitaria viabilizar o CNPJ novamente em cerca 10-15 anos e atar as mãos gordas dos porcos velhos e famintos de GS. Seriam 10-15 anos de performances medianas pra sanear as contas.

O investidor poderia VENDER SEUS ATLETAS QUANDO QUISESSE, e uma coparticipação em camisas ou produtos referentes a seus jogadores também seria algo a se debater.

 

Com isso o investidor jamais colocaria seu patrimônio em cheque e o BFR não poderia fazer as cagadas e baixarias de sempre.

 

EXEMPLO PRÁTICO PRA ILUSTRAR: 

Ao invés de, por exemplo, os Moreira Salles entrarem numa lama de S/A e assumirem um débito enorme e um longo processo de recuperação e disputa política, eles, sei lá, compram o ATLÉTICO DE CAMPO GRANDE , contratam 24-30 atletas de bom nível e EMPRESTAM AO BOTAFOGO. O Botafogo não contrata ninguém, e só utiliza os atletas contratados pelo Atlético de Campo Grande que lhes foram emprestados. 

 

Não seria mais Freeland, um Rotenberg, um Anderson Barros a definir contratações. Seria um OUTRO CLUBE, de UM DONO, que não está interessado em perder dinheiro

 

Entenderam a jogada? A ideia central é "vender" o ÚNICO ativo do clube que AINDA não foi destruído: VISIBILIDADE. (E também, claro, amordaçar os incompetentes que povoam GS)

 

(A ideia é rudimentar, precisa ser lapidada e trabalhada, é claro.)

emilio

Desde 11/2009 • 11 anos de CANAL
Belo Horizonte/MG

Garrincha


Em 22/04/2021 às 14:38
 

Com este CNPJ é impossível fazer isso, irão penhorar até eventuais receitas futuras. Brincar de Banco imobiliário é melhor.

Nicanor Passos

Desde 09/2020
Goiânia/GO

Garrincha


Em 22/04/2021 às 14:57
 

lfelipedp disse:

Observo alguns clubes europeus sobrevivendo às custas de uma tosca condição de vitrine: servem pra expor jogadores pra revenda, visando somente obtenção de lucros às custas de eliminar toda e qualquer chance de ter algum protagonismo em suas respectivas ligas.

Pensando aqui, será que não seria um caminho melhor, pro Botafogo, oficializar e "regulamentar" esse processo?

Explico: ao invés da relação obscura e simbiótica entre diretoria e uma meia dúzia de empresários que ocorre hoje, por que não firmar uma parceria com algum investidor ou mecenas em que o sujeito contrata a partir de outro clube (fantasia, comprado, recém criado - à la Tombense de Uram), PAGA O SALÁRIO DO ATLETA e o Botafogo apenas lhe cede espaço pra jogar mediante empréstimo sem ônus?  

Isso livraria o investidor de perder dinheiro na República de Piscineiros do clube social, assim como o manteria longe de um CNPJ podre.

Como contrapartida, o BFR NÃO CONTRATA ATLETAS POR OUTRO MEIO , E TODO DINHEIRO QUE ENTRA (TV, INGRESSOS, SÓCIOS, PRODUTOS, PATROCÍNIOS) IRIA PRA QUITAR DÍVIDAS E CUSTOS BÁSICOS. Isso possibilitaria viabilizar o CNPJ novamente em cerca 10-15 anos e atar as mãos gordas dos porcos velhos e famintos de GS. Seriam 10-15 anos de performances medianas pra sanear as contas.

O investidor poderia VENDER SEUS ATLETAS QUANDO QUISESSE, e uma coparticipação em camisas ou produtos referentes a seus jogadores também seria algo a se debater.

 

Com isso o investidor jamais colocaria seu patrimônio em cheque e o BFR não poderia fazer as cagadas e baixarias de sempre.

 

EXEMPLO PRÁTICO PRA ILUSTRAR: 

Ao invés de, por exemplo, os Moreira Salles entrarem numa lama de S/A e assumirem um débito enorme e um longo processo de recuperação e disputa política, eles, sei lá, compram o ATLÉTICO DE CAMPO GRANDE , contratam 24-30 atletas de bom nível e EMPRESTAM AO BOTAFOGO. O Botafogo não contrata ninguém, e só utiliza os atletas contratados pelo Atlético de Campo Grande que lhes foram emprestados. 

 

Não seria mais Freeland, um Rotenberg, um Anderson Barros a definir contratações. Seria um OUTRO CLUBE, de UM DONO, que não está interessado em perder dinheiro

 

Entenderam a jogada? A ideia central é "vender" o ÚNICO ativo do clube que AINDA não foi destruído: VISIBILIDADE. (E também, claro, amordaçar os incompetentes que povoam GS)

 

(A ideia é rudimentar, precisa ser lapidada e trabalhada, é claro.)

Em síntese: Fazer, exatamente, o que a OVEL representa para o Atlético Goianiense que, ao contrário do que muitos aqui pensam, não investe porra nenhuma em categorias de base, pois tem o clube revelador, com sócio oculto, para mandar os talentos para o Dragão. Só está esquecendo de um pequeno detalhe: a "Turma do Não Pode!".


lfelipedp

Desde o início • 12+ anos de CANAL
RJ

Mirim


Em 22/04/2021 às 15:29
 

Nicanor Passos disse:

Em síntese: Fazer, exatamente, o que a OVEL representa para o Atlético Goianiense que, ao contrário do que muitos aqui pensam, não investe porra nenhuma em categorias de base, pois tem o clube revelador, com sócio oculto, para mandar os talentos para o Dragão. Só está esquecendo de um pequeno detalhe: a "Turma do Não Pode!".


Caro Nicanor,

 

desconhecia essa prática por parte da OVEL. De fato, seria um ótimo exemplo.

 

Folha enxuta, atletas jovens e competitivos, clube organizado.

 

É a última salvação ao Botafogo. 



fidel_garrincha

Desde 08/2012 • 8 anos de CANAL
Rio de Janeiro/RJ

Garrincha


Em 22/04/2021 às 15:35
 

 

Mais um tópico muito interessante e, acima de tudo, importante. Confesso que  essa ideia nunca tinha passado pela minha cabeça. Mas, agora, num primeiro passar d'olhos, sem me aprofundar muito, me chama bastante atenção.

 

Aliás, vale ressaltar que é surpreendente (não sei nem se essa seria a palavra correta, visto o baixo nível dos nossos dirigentes) que, só aqui no canal, já surgiram algumas propostas muito mais criativas  e elaboradas, para melhorar a condição do Botafogo, do que todas já apresentadas, não só pela atual gestão nojenta, mas, também, pela maioria das pessoas que passaram por General Severiano.

 

 



FOGÃO V.R.

Desde 01/2012 • 9 anos de CANAL
Volta Redonda/RJ

Garrincha


Em 22/04/2021 às 15:45
 

Ótimo tópico,eu não entendo bulhufas,mas acho que ,como disse o Emílio,TUDO que for vinculado ao Botafogo de alguma forma estará de uma maneira ou outra atrelado ao nosso passivo bilionário,por isso que esses investidores preferem criar um time minúsculo,com CNPJ limpo.

Mas super interessante a ideia,que os entendidos possam desenvolvê-la. 



Msb

Desde 12/2019 • 1 ano de CANAL
Nova Friburgo/RJ

Garrincha


Em 22/04/2021 às 15:51
 

Ainda acho que o Botafogo poderia apostar em gente e se tornar um clube formador.

O investimento inicial pode parecer alto, mas tem clubes do interior dos sertões fazendo isso. Um Vitinho a cada 5 anos já mantém a roda girando, assim por assim, ao menos jogadores pro banco uma base razoável forneceria.





things are happening

Msb

Desde 12/2019 • 1 ano de CANAL
Nova Friburgo/RJ

Garrincha


Em 22/04/2021 às 15:51
 

O tópico vai longe.



things are happening

gunarfogo

Desde 10/2017 • 3 anos de CANAL
volta redonda/RJ

Garrincha


Em 22/04/2021 às 16:11
 

BRV     Botafogo futebol de vitrine ,vai comendo Raimundo 

emilio

Desde 11/2009 • 11 anos de CANAL
Belo Horizonte/MG

Garrincha


Em 22/04/2021 às 16:14
 

Há anos faço propostas de ressucitar os consulados alvinegros, que captavam jogadores pelo Brasil inteiro, e não havia internet, telefone era de magneto, usava-se código morse, e funcionava.

Falei tanto e nunca levaram a sério. Há dois anos o framengo passou a fazer algo parecido.... faz 3 dias de capacitação e testes em algumas cidades polos pelo Brasil...

A ideia é fazer convênio com clubes de cidades com 60 a 100.000, que são satélites de outras cidades, e normalmente, aqui em Minas, estas cidades polos exercem uma influência em cidades pequenas gerando uma população em torno de 700 mil habitantes.

Estas cidades normalmente tem 3 ou 4 campos oficiais, em grande parte delas já foram disputados fases da copa BH de futebol Junior.

Custa uma bagatela, o valor do salário do Carli + Ricardinho + Cavalieri dá para cobrir todo território mineiro por 6 meses.

 



vini-s

Desde 02/2016 • 5 anos de CANAL
Porto Alegre/RS

Garrincha


Em 22/04/2021 às 16:53
 

lfelipedp disse:

O investidor poderia VENDER SEUS ATLETAS QUANDO QUISESSE, e uma coparticipação em camisas ou produtos referentes a seus jogadores também seria algo a se debater.

 

Não seria mais Freeland, um Rotenberg, um Anderson Barros a definir contratações. Seria um OUTRO CLUBE, de UM DONO, que não está interessado em perder dinheiro.



 

Um dos problemas dessa sistemática é que o novo dono do clube tá só interessado em ganhar dinheiro, muitas vezes a curto prazo. Se tiver que vender o craque do time na véspera da final, vende...Tanto que esses clubes com esse papel não chegam a lugar algum, mesmo tendo um puta acervo de jogadores em seu plantel - Tombense, Rentistas e um outro do Juan Figer no Uruguai, o próprio TAC, etc.

 

Se tivesse realmente expectativa de manter uma performance mediana por 10-15 anos, ok, fechava (seria até lucro, se for ver). Problema é que podem ser mais 15 anos de performance catastrófica, com o ônus de não revelar ngm próprio. 

 

 

Os irmãos Moreira tentaram algo parecido com o Porto Alegre FC, levaram até a 1a divisão do gaucho (com Lisca de técnico) e depois degringolou (acho que tá licenciado hoje). 

 

 

Outra coisa... vivem reclamando de ingerencia de empresários. E nesse modelo aí?

Digamos que não sejam os Moreira Salles que são botafoguenses, que seja o próprio Uram (fechando o Tombense) ou um Carlos Leite da vida. E no bolo de 3 ou 4 bons jogadores (sobre os quais o clube ganharia um percentual) tiver outros 10 Vinicius Tanque que eles precisam de uma vitrine tbm? Vai poder recusar o parceiro? O Técnico vai ter autonomia para barrar os atletas do parceiro?  Se o Uram precisar do clube pra colocar aqui o Lucas Paquetá, ele não vai querer tbm colocar o Rhuan Renato, o Davi Araújo, e qq outro perna de pau que ele tenha? 

 

Sei lá, acho que a parte boa já não é muito diferente do que é hoje (uma vez que fazemos essa vitrine), e pelo lado negativo, tira a possibilidade do clube expor suas próprias 'jóias'. 

 

E vamos ser honestos... Quantas 'estrelas' tão sobrando na mão de empresários por aí sem clube pra ser vitrine? Sabem de algum? Há dificuldade em colocar em outro clube um bom jogador? Nâo é melhor colocar num clube que esteja sempre em Libertadores, p ex?

Não é mais provável que desembarquem vários refugos como já é hoje, com o ônus de ter que abrir mão dos próprios (bem ou mal, Botafogo vem ganhando um dinheiro com Igor Rabello, Dória, Vitinho, Jadson, MAtheus Fernandes, etc - mais Luis Henrique, de certa forma, já era vitrine). 

 

Obviamente que tem muito que melhorar na captação (pra ter muito mais dos Vitinhos e Dórias) e tudo mais, mas esse formato me parece trazer mais prejuízos que benefícios.

 

 

Mas, vamos lá, isso são conjecuturas.

 

De forma prática, o grande problema no qual a idéia esbarra é em achar o tal mecenas. Alguém disposto a gastar, sei lá, 50 milhões em apostas do futebol (e falo aposta mesmo, pq maioria dos moleques mais talentosos já estão vinculados a algum clube com uma multa estratosférica desde os 16 anos). Ou seja, teria que prospectar, captar... daí se tem que fazer isso, melhor que o clube mesmo faça, não? 

 

Tá longe de parecer viável.





 


Opinião acima verificada por software. Não aceite fake news. Know-how é respirar fact checking e evitar anglicismos online. 


 

Msb

Desde 12/2019 • 1 ano de CANAL
Nova Friburgo/RJ

Garrincha


Em 22/04/2021 às 16:54
 

emilio disse:.

Custa uma bagatela, o valor do salário do Carli + Ricardinho + Cavalieri dá para cobrir todo território mineiro por 6 meses.

 


É, o investimento em base inicial parece alto, mas é questão de prioridade. Depois que se começa, você mantém com o salário de uns 3 cabeças se bagre...

 

É questão de escolha, em 4 anos a gente quer o quê? 100 jogadores que "estão no mercado" ou estruturar a base?

Por enquanto, a gente optou em contratar 20, 25 jogadores por ano.





things are happening

michel

Desde 10/2012 • 8 anos de CANAL
Fora do Brasil

Garrincha


Em 22/04/2021 às 17:14
 

vini-s disse:
lfelipedp disse:

O investidor poderia VENDER SEUS ATLETAS QUANDO QUISESSE, e uma coparticipação em camisas ou produtos referentes a seus jogadores também seria algo a se debater.

 

Não seria mais Freeland, um Rotenberg, um Anderson Barros a definir contratações. Seria um OUTRO CLUBE, de UM DONO, que não está interessado em perder dinheiro.



 

Um dos problemas dessa sistemática é que o novo dono do clube tá só interessado em ganhar dinheiro, muitas vezes a curto prazo. Se tiver que vender o craque do time na véspera da final, vende...Tanto que esses clubes com esse papel não chegam a lugar algum, mesmo tendo um puta acervo de jogadores em seu plantel - Tombense, Rentistas e um outro do Juan Figer no Uruguai, o próprio TAC, etc.

 

Se tivesse realmente expectativa de manter uma performance mediana por 10-15 anos, ok, fechava (seria até lucro, se for ver). Problema é que podem ser mais 15 anos de performance catastrófica, com o ônus de não revelar ngm próprio. 

 

 

Os irmãos Moreira tentaram algo parecido com o Porto Alegre FC, levaram até a 1a divisão do gaucho (com Lisca de técnico) e depois degringolou (acho que tá licenciado hoje). 

 

 

Outra coisa... vivem reclamando de ingerencia de empresários. E nesse modelo aí?

Digamos que não sejam os Moreira Salles que são botafoguenses, que seja o próprio Uram (fechando o Tombense) ou um Carlos Leite da vida. E no bolo de 3 ou 4 bons jogadores (sobre os quais o clube ganharia um percentual) tiver outros 10 Vinicius Tanque que eles precisam de uma vitrine tbm? Vai poder recusar o parceiro? O Técnico vai ter autonomia para barrar os atletas do parceiro?  Se o Uram precisar do clube pra colocar aqui o Lucas Paquetá, ele não vai querer tbm colocar o Rhuan Renato, o Davi Araújo, e qq outro perna de pau que ele tenha? 

 

Sei lá, acho que a parte boa já não é muito diferente do que é hoje (uma vez que fazemos essa vitrine), e pelo lado negativo, tira a possibilidade do clube expor suas próprias 'jóias'. 

 

E vamos ser honestos... Quantas 'estrelas' tão sobrando na mão de empresários por aí sem clube pra ser vitrine? Sabem de algum? Há dificuldade em colocar em outro clube um bom jogador? Nâo é melhor colocar num clube que esteja sempre em Libertadores, p ex?

Não é mais provável que desembarquem vários refugos como já é hoje, com o ônus de ter que abrir mão dos próprios (bem ou mal, Botafogo vem ganhando um dinheiro com Igor Rabello, Dória, Vitinho, Jadson, MAtheus Fernandes, etc - mais Luis Henrique, de certa forma, já era vitrine). 

 

Obviamente que tem muito que melhorar na captação (pra ter muito mais dos Vitinhos e Dórias) e tudo mais, mas esse formato me parece trazer mais prejuízos que benefícios.

 

 

Mas, vamos lá, isso são conjecuturas.

 

De forma prática, o grande problema no qual a idéia esbarra é em achar o tal mecenas. Alguém disposto a gastar, sei lá, 50 milhões em apostas do futebol (e falo aposta mesmo, pq maioria dos moleques mais talentosos já estão vinculados a algum clube com uma multa estratosférica desde os 16 anos). Ou seja, teria que prospectar, captar... daí se tem que fazer isso, melhor que o clube mesmo faça, não? 

 

Tá longe de parecer viável.


Prezado Vini,

mas a gente já está há décadas sem ganhar nada mesmo! Então, que diferença faz? 





Eu sou diferente, eu sou Botafogo!
 

michel

Desde 10/2012 • 8 anos de CANAL
Fora do Brasil

Garrincha


Em 22/04/2021 às 17:17
 

acho uma saída original

só não acho que sairia porque os sanguessugas dariam um jeito de inviabilizar 





Eu sou diferente, eu sou Botafogo!
 

Nicanor Passos

Desde 09/2020
Goiânia/GO

Garrincha


Em 22/04/2021 às 17:31
 

FOGÃO V.R. disse:

Ótimo tópico,eu não entendo bulhufas,mas acho que ,como disse o Emílio,TUDO que for vinculado ao Botafogo de alguma forma estará de uma maneira ou outra atrelado ao nosso passivo bilionário,por isso que esses investidores preferem criar um time minúsculo,com CNPJ limpo.

Mas super interessante a ideia,que os entendidos possam desenvolvê-la. 


Mas é como eu sempre digo e adverti ao autor do tópico, FOGÃO V.R.: O problema é que ele esqueceu que, ao propor qualquer coisa nova, tem a "Turma do Não Pode!", com mil e um argumentos para sepultar o assunto. São as famosas "ABORTEIRAS DO CANAL". Cito como exemplo o que o Emílio vem dizendo aqui, há mais de uma década sobre os "Consulados". AS "ABORTEIRAS DO CANAL" estão sempre com as mãos e olhos abertos para para não deixar a criança nascer. O orgasmo delas é matar a criança, antes mesmo da fodinha acontecer. preferencialmente, nem deixando o coitado do espermatozóide sair do  pênis.


vini-s

Desde 02/2016 • 5 anos de CANAL
Porto Alegre/RS

Garrincha


Em 22/04/2021 às 17:55
 

michel disse:


Prezado Vini,

mas a gente já está há décadas sem ganhar nada mesmo! Então, que diferença faz? 


Mas, foi isso mesmo que eu falei, MIchel.

Se tivesse realmente expectativa de manter uma performance mediana por 10-15 anos, ok, fechava (seria até lucro, se for ver). Problema é que podem ser mais 15 anos de performance catastrófica, com o ônus de não revelar ngm próprio.  

 

 





 


Opinião acima verificada por software. Não aceite fake news. Know-how é respirar fact checking e evitar anglicismos online. 


 

fidel_garrincha

Desde 08/2012 • 8 anos de CANAL
Rio de Janeiro/RJ

Garrincha


Em 22/04/2021 às 18:33
 

vini-s disse:
lfelipedp disse:

O investidor poderia VENDER SEUS ATLETAS QUANDO QUISESSE, e uma coparticipação em camisas ou produtos referentes a seus jogadores também seria algo a se debater.

 

Não seria mais Freeland, um Rotenberg, um Anderson Barros a definir contratações. Seria um OUTRO CLUBE, de UM DONO, que não está interessado em perder dinheiro.



 

Um dos problemas dessa sistemática é que o novo dono do clube tá só interessado em ganhar dinheiro, muitas vezes a curto prazo. Se tiver que vender o craque do time na véspera da final, vende...Tanto que esses clubes com esse papel não chegam a lugar algum, mesmo tendo um puta acervo de jogadores em seu plantel - Tombense, Rentistas e um outro do Juan Figer no Uruguai, o próprio TAC, etc.

 

Se tivesse realmente expectativa de manter uma performance mediana por 10-15 anos, ok, fechava (seria até lucro, se for ver). Problema é que podem ser mais 15 anos de performance catastrófica, com o ônus de não revelar ngm próprio. 

 

 

Os irmãos Moreira tentaram algo parecido com o Porto Alegre FC, levaram até a 1a divisão do gaucho (com Lisca de técnico) e depois degringolou (acho que tá licenciado hoje). 

 

 

Outra coisa... vivem reclamando de ingerencia de empresários. E nesse modelo aí?

Digamos que não sejam os Moreira Salles que são botafoguenses, que seja o próprio Uram (fechando o Tombense) ou um Carlos Leite da vida. E no bolo de 3 ou 4 bons jogadores (sobre os quais o clube ganharia um percentual) tiver outros 10 Vinicius Tanque que eles precisam de uma vitrine tbm? Vai poder recusar o parceiro? O Técnico vai ter autonomia para barrar os atletas do parceiro?  Se o Uram precisar do clube pra colocar aqui o Lucas Paquetá, ele não vai querer tbm colocar o Rhuan Renato, o Davi Araújo, e qq outro perna de pau que ele tenha? 

 

Sei lá, acho que a parte boa já não é muito diferente do que é hoje (uma vez que fazemos essa vitrine), e pelo lado negativo, tira a possibilidade do clube expor suas próprias 'jóias'. 

 

E vamos ser honestos... Quantas 'estrelas' tão sobrando na mão de empresários por aí sem clube pra ser vitrine? Sabem de algum? Há dificuldade em colocar em outro clube um bom jogador? Nâo é melhor colocar num clube que esteja sempre em Libertadores, p ex?

Não é mais provável que desembarquem vários refugos como já é hoje, com o ônus de ter que abrir mão dos próprios (bem ou mal, Botafogo vem ganhando um dinheiro com Igor Rabello, Dória, Vitinho, Jadson, MAtheus Fernandes, etc - mais Luis Henrique, de certa forma, já era vitrine). 

 

Obviamente que tem muito que melhorar na captação (pra ter muito mais dos Vitinhos e Dórias) e tudo mais, mas esse formato me parece trazer mais prejuízos que benefícios.

 

 

Mas, vamos lá, isso são conjecuturas.

 

De forma prática, o grande problema no qual a idéia esbarra é em achar o tal mecenas. Alguém disposto a gastar, sei lá, 50 milhões em apostas do futebol (e falo aposta mesmo, pq maioria dos moleques mais talentosos já estão vinculados a algum clube com uma multa estratosférica desde os 16 anos). Ou seja, teria que prospectar, captar... daí se tem que fazer isso, melhor que o clube mesmo faça, não? 

 

Tá longe de parecer viável.


Sem querer falar por ninguém, até porque, como o fogão vr. disse, também não entendo nada do assunto. E, quando não sei de algo, diferente de nossa diretoria imunda (e seus componentes aventureiros), faço questão de assumir.

 

Mas, com relação apenas à indagação a respeito da "parte boa" , me parece , pelo exposto no tópico, que  esta consiste na possibilidade do clube focar apenas no pagamento de dívidas, destinando sua receita quase que inteira para isso, a fim de voltar a ser viável daqui há 10, 15 anos. Assim, seria "retirada" a maior despesa de todas (depois das dívidas), que é o futebol, para se concentrar, única e exclusivamente, em quitar grande parte do que devemos.

 

 



fidel_garrincha

Desde 08/2012 • 8 anos de CANAL
Rio de Janeiro/RJ

Garrincha


Em 22/04/2021 às 18:48
 

Posso estar enganado, mas a proposta me parece ser bem atrativa, aos empresários, por retirar , inteiramente, qualquer controle dos ratos do Botafogo, o que os deixariam completamente livres para negociar e gerenciar seus ativos como bem entenderem. Uma liberdade que, de fato, alem de não exisitr, os blinda contra as péssimas administrações e decisões do nosso clube.

 

Ocorre que, como o vini bem pontuou, estaríamos inteiramente a mercê deles, o que pode ser prejudicial em vários aspectos. Mas aí fica outra questão: será que hoje já é muito diferente? Com relação a possibilidade de venda, a qualquer instante, dos jogadores, realmente, não há essa previsão, nos dias atuais. Poderia muito bem ocorrer, como dito, a venda de várias peças importantes às vésperas de uma final, por exemplo.

 Por outro lado, o fato de, por ventura, enfiarem um milhão de barangas no clube já acontece, escancaradamente, há tempos,  tendo como principal resultado o ofuscamento de nossos jovens valores, o que foi, igualmente, citado como possível mazela.

 

Sinceramente, não sei muito bem o que pensar, mas a nossa situação desde 2019 pra cá é tão ridícula, tão humilhante, que, agora, sem refletir intensamente, da maneira como a questão pede, em razão da sua alta complexidade,  não me incomodaria que o projeto fosse realizado, DESDE QUE, como também pontuado pelo vini, isso resultasse em campanhas medianas, pelo menos.

Até porque, seria foda seria fazer toda essa operação e o clube continuar como tá hoje, perigando cair pra 3ª divisão. 



alvinegro21

Desde 07/2019 • 1 ano de CANAL
Rio de janeir/RJ

Garrincha


Em 22/04/2021 às 19:25
 

Não sei porque toda vez que vem essa história de clube vitrine aparece,

 

me lembro do distrito da luz vermelha em Amsterdam e me bate a mesma deprê.  



emilio

Desde 11/2009 • 11 anos de CANAL
Belo Horizonte/MG

Garrincha


Em 22/04/2021 às 19:40
 

Aqui em MInas tem 3 clubes vitrines: Boa Esporte, Coimbra e Tombense. Os dois últimos já cairam, e o Tombense tá na briga pelo quadrangular decisivo. A trajetória do Boa Esporte define bem a vida de clube vitrine no Brasil, é um tobogã.

emilio

Desde 11/2009 • 11 anos de CANAL
Belo Horizonte/MG

Garrincha


Em 22/04/2021 às 19:45
 

Ressalte-se que o Boa não é só pereba juramentado. Tem 2 jogadors que eu vendo apenas uma vez, acho que podem servir para alguma coisa: o goleiro, e o atacante Jeferson.

Mineirow@hotmail.com

Desde 09/2013 • 7 anos de CANAL
zona rural/MG

Garrincha


Em 22/04/2021 às 20:14
 

Emílio, tb acho que esse goleiro da jogo. Moleque ainda, 2 metros e 4.

Parece que veio do Sul. 





( ͡° ل͟ ͡° )

Mineiro♣

 

 

 

emilio

Desde 11/2009 • 11 anos de CANAL
Belo Horizonte/MG

Garrincha


Em 22/04/2021 às 20:51
 

Mineirow@hotmail.com disse:

Emílio, tb acho que esse goleiro da jogo. Moleque ainda, 2 metros e 4.

Parece que veio do Sul. 



tem uma envergadura danada, e é ágil também em bolas rasteiras, e no jogo que eu vi também tem espírito de liderança, manda ver xingamentos em jogadores mais velhos.

 



FOGÃO V.R.

Desde 01/2012 • 9 anos de CANAL
Volta Redonda/RJ

Garrincha


Em 22/04/2021 às 20:55
 

Acabamos de contratar um goleiro de 1,96 agora,de 20 anos.

Espero que não seja um novo Palmieri.kkk

Setor de inteligência do clube não é nada confiável. 

 



FOGÃO V.R.

Desde 01/2012 • 9 anos de CANAL
Volta Redonda/RJ

Garrincha


Em 22/04/2021 às 20:57
 

https://www.fogaonet.com/noticias-do-botafogo/botafogo-contrata-goleiro-ex-flamengo-vasco-sub-20/

Vini-S

Desde 02/2016 • 5 anos de CANAL
Porto Alegre/RS

Garrincha


Em 22/04/2021 às 20:58
 

fidel_garrincha disse:
vini-s disse:
lfelipedp disse:

O investidor poderia VENDER SEUS ATLETAS QUANDO QUISESSE, e uma coparticipação em camisas ou produtos referentes a seus jogadores também seria algo a se debater.

 

Não seria mais Freeland, um Rotenberg, um Anderson Barros a definir contratações. Seria um OUTRO CLUBE, de UM DONO, que não está interessado em perder dinheiro.



 

Um dos problemas dessa sistemática é que o novo dono do clube tá só interessado em ganhar dinheiro, muitas vezes a curto prazo. Se tiver que vender o craque do time na véspera da final, vende...Tanto que esses clubes com esse papel não chegam a lugar algum, mesmo tendo um puta acervo de jogadores em seu plantel - Tombense, Rentistas e um outro do Juan Figer no Uruguai, o próprio TAC, etc.

 

Se tivesse realmente expectativa de manter uma performance mediana por 10-15 anos, ok, fechava (seria até lucro, se for ver). Problema é que podem ser mais 15 anos de performance catastrófica, com o ônus de não revelar ngm próprio. 

 

 

Os irmãos Moreira tentaram algo parecido com o Porto Alegre FC, levaram até a 1a divisão do gaucho (com Lisca de técnico) e depois degringolou (acho que tá licenciado hoje). 

 

 

Outra coisa... vivem reclamando de ingerencia de empresários. E nesse modelo aí?

Digamos que não sejam os Moreira Salles que são botafoguenses, que seja o próprio Uram (fechando o Tombense) ou um Carlos Leite da vida. E no bolo de 3 ou 4 bons jogadores (sobre os quais o clube ganharia um percentual) tiver outros 10 Vinicius Tanque que eles precisam de uma vitrine tbm? Vai poder recusar o parceiro? O Técnico vai ter autonomia para barrar os atletas do parceiro?  Se o Uram precisar do clube pra colocar aqui o Lucas Paquetá, ele não vai querer tbm colocar o Rhuan Renato, o Davi Araújo, e qq outro perna de pau que ele tenha? 

 

Sei lá, acho que a parte boa já não é muito diferente do que é hoje (uma vez que fazemos essa vitrine), e pelo lado negativo, tira a possibilidade do clube expor suas próprias 'jóias'. 

 

E vamos ser honestos... Quantas 'estrelas' tão sobrando na mão de empresários por aí sem clube pra ser vitrine? Sabem de algum? Há dificuldade em colocar em outro clube um bom jogador? Nâo é melhor colocar num clube que esteja sempre em Libertadores, p ex?

Não é mais provável que desembarquem vários refugos como já é hoje, com o ônus de ter que abrir mão dos próprios (bem ou mal, Botafogo vem ganhando um dinheiro com Igor Rabello, Dória, Vitinho, Jadson, MAtheus Fernandes, etc - mais Luis Henrique, de certa forma, já era vitrine). 

 

Obviamente que tem muito que melhorar na captação (pra ter muito mais dos Vitinhos e Dórias) e tudo mais, mas esse formato me parece trazer mais prejuízos que benefícios.

 

 

Mas, vamos lá, isso são conjecuturas.

 

De forma prática, o grande problema no qual a idéia esbarra é em achar o tal mecenas. Alguém disposto a gastar, sei lá, 50 milhões em apostas do futebol (e falo aposta mesmo, pq maioria dos moleques mais talentosos já estão vinculados a algum clube com uma multa estratosférica desde os 16 anos). Ou seja, teria que prospectar, captar... daí se tem que fazer isso, melhor que o clube mesmo faça, não? 

 

Tá longe de parecer viável.


Sem querer falar por ninguém, até porque, como o fogão vr. disse, também não entendo nada do assunto. E, quando não sei de algo, diferente de nossa diretoria imunda (e seus componentes aventureiros), faço questão de assumir.

 

Mas, com relação apenas à indagação a respeito da "parte boa" , me parece , pelo exposto no tópico, que  esta consiste na possibilidade do clube focar apenas no pagamento de dívidas, destinando sua receita quase que inteira para isso, a fim de voltar a ser viável daqui há 10, 15 anos. Assim, seria "retirada" a maior despesa de todas (depois das dívidas), que é o futebol, para se concentrar, única e exclusivamente, em quitar grande parte do que devemos.

 

 

 

 

 


Pois é, Fidel, mas daí me parece menos factivel ainda. Tem que ser o Mecenas do Mecenas, gastar 50 milhões pra cavar uns moleques bons e ainda ficar bancando por 10 anos uma folha de digamos, 3 milhões por mês.

Nisso, o cara tá gastando quase 90 milhões por temporada. Tem que vender 100 milhões em jogador todo ano.  

 

 

Repito... Digamos que seja o Carlos Leite. Tem um monte de baranga que precisa de vitrine, os bons dele tão tudo bem colocados. Mas vamos dizer que tenha que recolocar o Paulinho... Pra que usar o Botafogo de vitrine pagando ele o salário de 500 mil, se vai ter fila de time a fim de empréstimo e assumindo o salário?? Ele vai precisar de vitrine é pro Madson, pro Juquinha, pro Felipe Bastos e pras merdas que ele agência, e não pros bons. E nem desses vai querer assumir o salário. 





 


Opinião acima verificada por software. Não aceite fake news. Know-how é respirar fact checking e evitar anglicismos online. 


 

FOGÃO V.R.

Desde 01/2012 • 9 anos de CANAL
Volta Redonda/RJ

Garrincha


Em 22/04/2021 às 21:16
 

Como os floridos conseguem tocar sua base com tanto sucesso?

Acho esse o modelo a ser seguido pela gente.

Como já cansaram de falar aqui,para de gastar dinheiro com tanto jogador merda e investe pesado na base.Não dou dois anos os frutos começam a aparecer. 



Mineirow@hotmail.com

Desde 09/2013 • 7 anos de CANAL
zona rural/MG

Garrincha


Em 22/04/2021 às 21:52
 

》Acabamos de contratar um goleiro de 1,96 agora,de 20 anos.

Estranho ter passado por fla e Vasco. 

Não serviu pra nenhum dos dois. 

 





( ͡° ل͟ ͡° )

Mineiro♣

 

 

 

lfelipedp

Desde o início • 12+ anos de CANAL
RJ

Mirim


Em 23/04/2021 às 10:44
 

Meus caros, posto o que li até aqui, alguns esclarecimentos são necessários.

 

1) Talvez, a não ser pela relação OVEL / Atlético-GO (apontada pelo Nicanor) ou mesmo Bragantino / Red Bull, AINDA NÃO HÁ EXEMPLO SEQUER SIMILAR NO FUTEBOL BRASILEIRO DO QUE FOI SUGERIDO NO TÓPICO. Clubes como a Tombense de Uram não são propriamente um clube-vitrine nos moldes aqui propostos, não foram criados para projetar qualquer atleta, são CLUBES-TAMPÃO. Explico: desde 2014 a FIFA proibiu agentes de possuírem DIREITOS ECONÔMICOS de atletas, apenas CLUBES e o PRÓPRIO ATLETA podem tê-los. Ou seja, BASICAMENTE VEIO UMA ENXURRADA DE MINI-CLUBES SÓ PRA REALIZAR O "DIRTY WORK" DE MANEJAR DIREITOS DE ATLETAS ENTRE EMPRESÁRIOS.

2) O tipo de exercício aqui proposto NÃO CABE a um empresário de atletas. Nem Uram, Carlos Leite e afins teriam força econômica para tal. TERIA DE SER UM BIG PLAYER. Uma grande multinacional, um grande investidor do futebol mundial, um banco, um conglomerado empresarial, etc. Não é sobre vender UM OU OUTRO jogador, É SOBRE MONTAR UM TIME CONSISTENTE E COM VENDAS SISTEMÁTICAS. É outro processo, que diverge MUITO do que é feito hoje no clube, em que cada empresário faz sua negociata independente e estimula seu atleta a obter números individuais.

3) O objetivo COLETIVO, no meu entender, assegura maior probabilidade de resultados que o atual modelo. PARA TODOS OS EFEITOS, O BOTAFOGO "TERCEIRIZARIA" SEU FUTEBOL A OUTRO CNPJ. Quem poderia oferecer um espaço midiático e futebolístico como esse? 4 a 5 milhões de torcedores, tempo em programas de grande mídia, venda de produtos, premiações em campeonatos. É muito mais do que um BRAGANTINO, por exemplo.

4) Estou de PLENO ACORDO que divisões de base são fundamentais a qualquer clube superavitário, mas a sensação que tenho é que o Botafogo PERDEU O TIMING, prescisamos ter uma proposta PRA ONTEM. A base demora a dar frutos e era pra ter sido trabalhada HÁ 10 OU 20 ANOS.

 

Enfim, essa possibilidade precisa ser discutida. 



emilio

Desde 11/2009 • 11 anos de CANAL
Belo Horizonte/MG

Garrincha


Em 23/04/2021 às 10:46
 

lfelipedp disse:

Meus caros, posto o que li até aqui, alguns esclarecimentos são necessários.

 

1) Talvez, a não ser pela relação OVEL / Atlético-GO (apontada pelo Nicanor) ou mesmo Bragantino / Red Bull, AINDA NÃO HÁ EXEMPLO SEQUER SIMILAR NO FUTEBOL BRASILEIRO DO QUE FOI SUGERIDO NO TÓPICO. Clubes como a Tombense de Uram não são propriamente um clube-vitrine nos moldes aqui propostos, não foram criados para projetar qualquer atleta, são CLUBES-TAMPÃO. Explico: desde 2014 a FIFA proibiu agentes de possuírem DIREITOS ECONÔMICOS de atletas, apenas CLUBES e o PRÓPRIO ATLETA podem tê-los. Ou seja, BASICAMENTE VEIO UMA ENXURRADA DE MINI-CLUBES SÓ PRA REALIZAR O "DIRTY WORK" DE MANEJAR DIREITOS DE ATLETAS ENTRE EMPRESÁRIOS.

2) O tipo de exercício aqui proposto NÃO CABE a um empresário de atletas. Nem Uram, Carlos Leite e afins teriam força econômica para tal. TERIA DE SER UM BIG PLAYER. Uma grande multinacional, um grande investidor do futebol mundial, um banco, um conglomerado empresarial, etc. Não é sobre vender UM OU OUTRO jogador, É SOBRE MONTAR UM TIME CONSISTENTE E COM VENDAS SISTEMÁTICAS. É outro processo, que diverge MUITO do que é feito hoje no clube, em que cada empresário faz sua negociata independente e estimula seu atleta a obter números individuais.

3) O objetivo COLETIVO, no meu entender, assegura maior probabilidade de resultados que o atual modelo. PARA TODOS OS EFEITOS, O BOTAFOGO "TERCEIRIZARIA" SEU FUTEBOL A OUTRO CNPJ. Quem poderia oferecer um espaço midiático e futebolístico como esse? 4 a 5 milhões de torcedores, tempo em programas de grande mídia, venda de produtos, premiações em campeonatos. É muito mais do que um BRAGANTINO, por exemplo.

4) Estou de PLENO ACORDO que divisões de base são fundamentais a qualquer clube superavitário, mas a sensação que tenho é que o Botafogo PERDEU O TIMING, prescisamos ter uma proposta PRA ONTEM. A base demora a dar frutos e era pra ter sido trabalhada HÁ 10 OU 20 ANOS.

 

Enfim, essa possibilidade precisa ser discutida. 



Poderia exemplificar com números onde isso já deu certo?


lfelipedp

Desde o início • 12+ anos de CANAL
RJ

Mirim


Em 23/04/2021 às 10:50
 

emilio disse:

Poderia exemplificar com números onde isso já deu certo?


NÃO HÁ NÚMEROS. Pois NUNCA FOI TENTADO! Pelo menos nos EXATOS moldes propostos.

O que posso dizer, com exemplos vários, é que a gestão empresarial do futebol, essa sim, dá frutos diversos no mundo. 

O que está neste tópico é um atalho, um subterfúgio para o Botafogo ter essa gestão empresarial com outro CNPJ e livre das velhas amarras. 



emilio

Desde 11/2009 • 11 anos de CANAL
Belo Horizonte/MG

Garrincha


Em 23/04/2021 às 11:09
 

lfelipedp disse:
emilio disse:

Poderia exemplificar com números onde isso já deu certo?


NÃO HÁ NÚMEROS. Pois NUNCA FOI TENTADO! Pelo menos nos EXATOS moldes propostos.

O que posso dizer, com exemplos vários, é que a gestão empresarial do futebol, essa sim, dá frutos diversos no mundo. 

O que está neste tópico é um atalho, um subterfúgio para o Botafogo ter essa gestão empresarial com outro CNPJ e livre das velhas amarras. 



Só que no Brasil juiz trabalhista começou e o resto da justiça está acompanhando a descarecterização da personalidade jurídica. Já temos 2 CNPJ´s sujos.

Futebol está igual licitação de prefeituras, se o prefeito é pagador o preço é X, se é caloteiro o preço é 10x, pois o custo de receber envolve muito conhecimento.

Tem muito interesse no emaranhado de coisas do futebol. 

Renato Gaúcho indica amigos e amigos.

Cuca tem que ter pelo menos 1 jogador de sua "confiança" no elenco, no nosso foi o Jeferson feijão, agora enfiou o Tche Tche por 500 mil mensais no Atlético-MG,

Ninguém abdica de uma vida profissional para geir um clube sem ganhar nada que não seja críticas ou xingamentos.

O modelo tá todo errado, e dentro do errado o Botafogo é o mais errado de todos os clubes brasileiros, então estaremos entre os primeiros a serem engessados.



alvinegro21

Desde 07/2019 • 1 ano de CANAL
Rio de janeir/RJ

Garrincha


Em 23/04/2021 às 11:44
 

Mesmo que o modelo dê certo.


Quem vai querer investir num buraco que está devendo  R$ 1Bilhão?? Nem pra lavar dinheiro da máfia, ou coisa similar emplaca.

 

Muito melhor pegar um Bragantino da vida, que o retorno vem mais rápido e maior.



vini-s

Desde 02/2016 • 5 anos de CANAL
Porto Alegre/RS

Garrincha


Em 23/04/2021 às 12:01
 

lfelipedp disse:

Meus caros, posto o que li até aqui, alguns esclarecimentos são necessários.


2) O tipo de exercício aqui proposto NÃO CABE a um empresário de atletas. Nem Uram, Carlos Leite e afins teriam força econômica para tal. TERIA DE SER UM BIG PLAYER. Uma grande multinacional, um grande investidor do futebol mundial, um banco, um conglomerado empresarial, etc. Não é sobre vender UM OU OUTRO jogador, É SOBRE MONTAR UM TIME CONSISTENTE E COM VENDAS SISTEMÁTICAS. É outro processo, que diverge MUITO do que é feito hoje no clube, em que cada empresário faz sua negociata independente e estimula seu atleta a obter números individuais.


Enfim, essa possibilidade precisa ser discutida. 


Cara, eu entendi a idéia, e acho que tem pontos positivos, SE fosse exequível na plenitude. SE.... 

 

Mas é nesse ponto aí que ela esbarra na realidade.

 

Arrumar um big player, e pôe big nisso, disposto a investir cerca de 1 bilhão no Botafogo em 10 anos (conta de padaria, mas digamos só uma folha mediana, de 50 milhões, 1x50 captação inicial de atletas promissores (no minimo) e repetir a cada 3 anos. Só isso já dá 700 milhões em 10 anos). 

 

Boa sorte em achar um big player desse porte, disposto a investir 700 milhões a 1 bi em 10 anos em um time brasileiro. Em qq time brasileiro.

 

É basicamente planejar um mecenato, só com um promessa futura de eventual lucro. 

 

E num formato com inúmeras inseguranças jurídicas e legais (tu acha que os credores vão ver de mãos abanandos supostas vendas de 20, 30 milhões pra um Botafogo devedor repassar pra investidores, enquanto aguardam numa fila de 8, 10 anos?).

 

Emilio, desconsideração da pessoa jurídica ocorre há décadas no sistema brasileiro pra evitar burlas, e inclusive começou nos juízos de falência, embora os trabalhistas sejam mais atuantes na causa. Hoje, por sinal, é um incidente expressamente previsto no CPC de 2015. 

 

 

PS - quem terceirizou o CNPJ do futebol (não foi nesses termos absolutos, mas efetivamente um outro cnpj assumiu só o futebol do clube) foi o Figueirense. Criaram uma empresa limitada para administrar seu futebol, o Figueirense Ltda, e vendeu 95% de sua participação para um investidor privado, a tal Elephant.

Em 2020 enfrentou greve de jogadores (a primeira nas divisões mais altas do futebol brasileiro) e em 2021 caiu pra série C. Era um projeto de 20 anos que durou 3, com o clube mais fudido acabando mais fudido do que tava. 

 

https://exame.com/negocios/o-que-deu-errado-com-o-figueirense-o-clube-empresa-falido/

 





 


Opinião acima verificada por software. Não aceite fake news. Know-how é respirar fact checking e evitar anglicismos online. 


 

emilio

Desde 11/2009 • 11 anos de CANAL
Belo Horizonte/MG

Garrincha


Em 23/04/2021 às 12:32
 

Emilio, desconsideração da pessoa jurídica ocorre há décadas no sistema brasileiro pra evitar burlas, e inclusive começou nos juízos de falência, embora os trabalhistas sejam mais atuantes na causa. Hoje, por sinal, é um incidente expressamente previsto no CPC de 2015.

 

Varas de falência tem casos famosos em MG. 



luizclaudiobfr

Desde 08/2008 • 12 anos de CANAL
Santos/SP

Garrincha


Em 23/04/2021 às 13:15
 

O Botafogo não tem solução. O Botafogo deveria ter investido na base no início do século e estaríamos colhendo ps frutos hoje tal e qual o Fluminense.

 

Aliás, deveríamos ter investido na base desde 1989 como o São Paulo fez com Cotia ao invés de viver de dinheiro de um mecenas. 



luizclaudiobfr

Desde 08/2008 • 12 anos de CANAL
Santos/SP

Garrincha


Em 23/04/2021 às 13:16
 

O Botafogo acabou por conta das péssimas escolhas do passado!

lfelipedp

Desde o início • 12+ anos de CANAL
RJ

Mirim


Em 23/04/2021 às 13:27
 

vini-s disse:

Cara, eu entendi a idéia, e acho que tem pontos positivos, SE fosse exequível na plenitude. SE.... 

 Arrumar um big player, e pôe big nisso, disposto a investir cerca de 1 bilhão no Botafogo em 10 anos (conta de padaria, mas digamos só uma folha mediana, de 50 milhões, 1x50 captação inicial de atletas promissores (no minimo) e repetir a cada 3 anos. Só isso já dá 700 milhões em 10 anos). 

 

Boa sorte em achar um big player desse porte, disposto a investir 700 milhões a 1 bi em 10 anos em um time brasileiro. Em qq time brasileiro.

 

É basicamente planejar um mecenato, só com um promessa futura de eventual lucro. 

 

E num formato com inúmeras inseguranças jurídicas e legais (tu acha que os credores vão ver de mãos abanandos supostas vendas de 20, 30 milhões pra um Botafogo devedor repassar pra investidores, enquanto aguardam numa fila de 8, 10 anos?).

 

Emilio, desconsideração da pessoa jurídica ocorre há décadas no sistema brasileiro pra evitar burlas, e inclusive começou nos juízos de falência, embora os trabalhistas sejam mais atuantes na causa. Hoje, por sinal, é um incidente expressamente previsto no CPC de 2015. 

 

 

PS - quem terceirizou o CNPJ do futebol (não foi nesses termos absolutos, mas efetivamente um outro cnpj assumiu só o futebol do clube) foi o Figueirense. Criaram uma empresa limitada para administrar seu futebol, o Figueirense Ltda, e vendeu 95% de sua participação para um investidor privado, a tal Elephant.

Em 2020 enfrentou greve de jogadores (a primeira nas divisões mais altas do futebol brasileiro) e em 2021 caiu pra série C. Era um projeto de 20 anos que durou 3, com o clube mais fudido acabando mais fudido do que tava. 

 

https://exame.com/negocios/o-que-deu-errado-com-o-figueirense-o-clube-empresa-falido/

 


Sim, achar um bigplayer não será fácil. Inclusive e sobretudo porque NÃO HÁ SOLUÇÃO FÁCIL AO BOTAFOGO. Em linhas gerais, diria que talvez não exista SOLUÇÃO ao Botafogo. Isso aqui é um exercício de abstração, uma ideia a ser lapidada e debatida, não um formato pronto.

Minha sugestão, a uma primeira vista, agradaria aos credores, creio eu. Pois eles teriam a garantia de que todo o caixa do clube serviria pra pagamento de contratos antigos, na medida em que o clube NÃO FIRMARIA NOVOS CONTRATOS COM ATLETAS. Simples assim. Enxergo um potencial de quitar algo na casa de 100 milhões ao ano.  Os atletas só atuariam com a camisa do Botafogo por meio de empréstimo, todo o custo é do outro clube contratado. Esse CNPJ não tem correlação com o anterior, os atletas são DELES, 100%; teria um vínculo contratual apenas entre as duas instituições, talvez com uma espécie de "curadoria" com componentes de ambos os lados (BFR e o outro clube) ao longo do processo.

Seria uma mensagem de austeridade, no meu entender: "SÓ VOLTAREMOS A TER FUTEBOL PRÓPRIO AO QUITAR DÍVIDAS!" 



luizclaudiobfr

Desde 08/2008 • 12 anos de CANAL
Santos/SP

Garrincha


Em 25/04/2021 às 17:27
 

A galera ainda insiste em salvação do Botafogo. A única chance do Botafogo é dar um reset e começar de baixo. Tem que declarar falência enquanto a torcida ainda dá certo apoio ao clube. Mais uns 2 ou 3 anos nesse marasmo, vai virar Portuguesa.

alvinegro21

Desde 07/2019 • 1 ano de CANAL
Rio de janeir/RJ

Garrincha


Em 25/04/2021 às 20:46
 

luizclaudiobfr disse:
A galera ainda insiste em salvação do Botafogo. A única chance do Botafogo é dar um reset e começar de baixo. Tem que declarar falência enquanto a torcida ainda dá certo apoio ao clube. Mais uns 2 ou 3 anos nesse marasmo, vai virar Portuguesa.



Game over.

 

 



 
Páginas:

Fórum CANALBOTAFOGO - O Seu portal do Botafogo de Futebol e Regatas