Fórum CANALBOTAFOGO
Tópico de discussão

 
Páginas:
lscunha
  PARTE 10 - TREINAMENTOS, APRIMORAMENTOS E AQUISIÇÕES DE FUNDAMENTOS

Desde 12/2007 • 12 anos de CANAL
Blumenau/SC

Garrincha


Em 21/09/2020 às 16:59

PARTE 10 - TREINAMENTOS, APRIMORAMENTOS E AQUISIÇÕES DE FUNDAMENTOS

Agora que você já fez uma listagem detalhadas de seus pontos fortes, fracos e ausentes de forma ampla e profunda, passaremos para a etapa de como aperfeiçoar, fortalecer e adquirir aqueles dos quais até então somos desprovidos e isso se dá com a perseverança de treinos diários e efetuados por iniciativa própria.

Não há outro caminho que não seja o treinamento específico para cada coisa.

Essa atitude também é válida para recuperação de contusões e eliminar qualquer traço de atrofias ou limitações, que resultam de um trabalho mal planejado da recuperação e/ou mal efetuado.

Os três aspectos devem ser trabalhados simultaneamente, introduzindo exercícios a serem exaustivamente repetidos até que passem a ser de prática comum.

Os controles de bola e vou salientar aquele que conhecemos como embaixadas, tanto com as duas pernas como com a cabeça, só se consegue as praticando através de insistentes tentativas diárias.

Então hipoteticamente, nós iremos escolher entre as três categorias, quais delas são mais corriqueiras de acontecerem na sua função em campo.

Digamos que eu seja forte em marcação, fraco em cabeceios e sem qualquer habilidade numa das pernas. Se assim for, temos que escolher treinamentos que me consolidem mais a prática de marcação, me submeter a uma bateria de formas diversas de cabeceios, pois as mesmas acontecem de forma diferente a cada momento do jogo e introduzir exercícios de obtenção de domínio de bola e habilidade com o “pé cego”.

 

10.1- FUNDAMENTOS TÉCNICOS

Os fundamentos, de uma maneira geral, podem ser classificados em técnicos, físicos, mentais e comportamentais, pois em qualquer atividade e no futebol não é diferente, há de se ter habilidade, preparo físico adequado para exercer a atividade fim, pensamento lógico, determinado e vencedor para obter sucesso e humildade nos bons e maus momentos, sempre respeitando o oponente e se movendo por uma ética competitiva, pois um atleta tem que ser um agente da justiça, pois possui admiradores, aos quais passará atitudes que serão modelares aos mesmos.

Um ídolo tem imensa responsabilidade com aqueles que lhe privilegiam com seu carinho e receptividade e o bom exemplo é imperativo.

Antes de iniciarmos os estudos para capacitação dos fundamentos considerados decorrentes, precisamos aprender e desenvolver os que classifico como primários e os separo em três, pois num jogo de futebol é necessário o uso dos pés, da cabeça, do corpo e no caso dos goleiros, também as mãos.

 

10.1.1 - FUNDAMENTOS PRIMÁRIOS

São aqueles que são exercidos de acordo com a nossa anatomia corporal.

 

A - USO DOS PÉS

Os pés são as principais ferramentas na prática do futebol e há quatro formas de serem utilizados: com o seu lado interno, com o lado externo, com a sola e com o peito ou parte superior.

 

A.1 - LADO INTERNO DO PÉ (CHAPA)

É o mais utilizado, pois é o mais natural e fácil para direcionar a bola para onde se deseja e normalmente é utilizado nos passes de curta e média distância, para cobranças de faltas próximas ao gol adversário e principalmente nas penalidades máximas, pois permite uma precisão admirável e é dito quando é utilizado que se bateu de chapa na bola.

Como treinamento, no caso de passes em situação de jogo, recomendo que se coloque marcos em distâncias curtas, médias e a até mesmo longas, para que se pratique o mesmo e se faça uma avaliação de seu potencial de acertos e isso é um treinamento permanente.

Ele pode ser efetuado de forma rasteira, a média altura ou por cima, que requer uma altura que encubra os jogadores, mesmo seus companheiros, que estejam entre a bola e o companheiro para o qual se quer enviara a bola.

Aqui vamos chegar a um outro conceito que é o posicionamento do pé na sua entrada na bola, para a enviar na forma que desejamos, já que o modo de tocar a bola para ir na direção e altura desejadas, abre possibilidades diversas e a isso temos que somar a força a ser dada de forma que a mesma chegue numa velocidade que permita o domínio da mesma por parte de quem ela foi endereçada.

Há também a possibilidade de se acrescentar na forma como se toca a bola de um efeito que ocasionará uma curva no trecho final do percurso desejado, ao qual nos referimos em linguagem futebolística de “tirarmos” a mesma de obstáculos que estejam interceptando a trajetória que desejamos, o que é muito utilizado nas cobranças de faltas próximas a área, em cobrança a média altura, efetuada pela lateral da barreira, quando houver possibilidade para isso ou como ocorre com frequência, nas cobranças sobre a barreira de adversários.

Na minha opinião pessoal, a cobrança de penalidades máximas deve ser sempre efetuada com essa parte do pé, dado o seu grau de precisão e a força que se pode imprimir, de modo que a mesma contenha uma velocidade que impeça qualquer ação do goleiro adversário.

 Eu era batedor de penalidades máximas e comecei meus treinamentos para tal, avisando o goleiro, pois também é um treinamento para ele, onde iria bater, no princípio ele pegava um bom número de penalidades que eu cobrava, mas com os treinamentos fui adquirindo confiança e precisão de tal forma que ele não mais conseguia os pegar, pois eu fazia com tal arte que ele não tinha como evitar e meu raciocínio lógico me dizia que se eu não perdia dizendo onde ia bater, imagina no jogo, onde eu nada diria ao goleiro adversário!

Ainda devo acrescentar que uma penalidade máxima deve sempre ser treinada com batidas nos dois cantos: com máxima segurança no pé das traves, com algum risco nos ângulos superiores e jamais a meia altura, pois é o caminho mais curto para o goleiro alcançar a bola.

Também é importante não olhar para o canto que se vai bater e o mesmo será decidido no momento em que se posiciona o pé para o lado que se fará a cobrança, de acordo com o pé de apoio do goleiro, pois a mesma deve ser sempre feita no pé que não está naquele momento sendo o de apoio, pois assim não terá impulsão imediata e até que consiga se arrumar para tal, a bola já está a caminho e ele não terá mais tempo para a alcançar.

 



LUIZ SERGIO CUNHA

 
Páginas:
Página principal

Fórum CANALBOTAFOGO - O Seu portal do Botafogo de Futebol e Regatas