Fórum CANALBOTAFOGO
Tópico de discussão

 
Páginas:
lscunha
  Sincronismo

Desde 12/2007 • 15 anos de CANAL
Blumenau/SC

Garrincha


Em 19/02/2023 às 20:28

SINCRONISMO

 

Desde menino que o efeito de movimento sincronizado me fascina.

No Bairro de Vila Isabel, no Rio de Janeiro dos anos 50, nas encostas de seus morros, era comum vermos a revoada de pássaros que tomavam diversas formas no espaço, com mudanças bruscas de direções, sem ocorrência de nenhum choque.

O mesmo fenômeno eu presenciei através de filmes de pescas submarinas com os cardumes.

Já adolescente, presenciei no Maracanã, antes do início de um jogo de nossa seleção, uma exibição da Banda dos Fuzileiros Navais e vi que era possível também fazermos esses malabarismos com humanos.

O tempo passou e me tornei sexagenário e meu esporte praticado passou a ser dançar e aí percebi que num salão lotado, as pessoas dançam a valsa, cuja coreografia exige rodar para um lado e depois para o outro com sua parceira e mesmo quase sem espaço, são raras as trombadas entre os diferentes casais e foi então que percebi que o sincronismo é um atavismo, uma premonição reflexiva que trazemos conosco.

Se isso pode ser obtido num salão lotado por idosos, porque não é possível ser obtido num campo com espaços consideráveis por jovens atletas no esplendor de suas capacitações físicas.

Comecei a observar não mais o jogo em si, me prendendo a cada lance, mas na movimentação que lhe avizinha, extremamente importante, pois é ela quem cria as opções de passe, esse fundamente que considero o mais importante de todos na prática do futebol, pois uma equipe que não erra passes, se torna invencível, pois passará o jogo criando inúmeras situações de chegar na cara do goleiro adversário e por pior que seja a qualidade de finalização de seus jogadores, muitos gols irão ser marcados.

Dessa minha observação, concluí que há um axioma ou uma espécie de lei natural que comanda essa ação de movimentação que resumi como “se ele sai, eu entro”, ou seja, que todo espaço deixado livre por um companheiro ou adversário, deve ser ocupado, pois o futebol é um esporte de conquista territorial.

Assim, também percebi, que para exercer esse tipo de movimentação sincronizada, os jogadores precisam ser polivalentes, pois um zagueiro no desenrolar da movimentação prolongada, pode se tornar um atacante e um atacante se tornar um zagueiro, pois a movimentação deve ter a mesma sistemática tanto para ações ofensivas como para defensivas, estabelecendo um rodízio entre os componentes da equipe e os momentos de bolas paradas é que permitirão a reorganização da equipe conforme a postura de agrupamento tático inicial.

Para tal, a figura do jogador especialista em uma posição, deve ser modificada para a do polivalente, exceto o goleiro, ápice das ações defensivas, que deve guardar mais a sua posição e isso só é possível com o enriquecimento do domínio de fundamentos, através de treinamentos específicos por parte de todos os componentes do elenco, até mesmo para os goleiros, que terão que dominar muitos fundamentos, não só com as mãos, mas também com os pés.

Há, como em toda história que vai bem, um senão e no nosso caso, ele é decorrente da pouca disponibilidade de treinos.

Uma equipe de ponta no futebol brasileiro, participa de seu Campeonato Estadual, do Campeonato Brasileiro, da Copa Brasil e de um Torneio internacional, seja a Copa da Conmebol ou a Libertadores e se for vencedora desta, ainda do torneio Mundial de clubes, além da Recopa.

Simplificando: face as viagens e compromissos de jogarem duas vezes na semana, não há tempo para treinos de aperfeiçoamento de fundamentos, mas apenas de manutenção de forma física e dos esquemáticos para enfretamento dos adversários e assim sendo o período de pré-temporada tem que ser muito bem aproveitado por todos.

Isso nos leva ao fato que esse domínio dos fundamentos em geral, só é possível de trabalhar nas Divisões de Base, que possuem um volume menor de competições e espaçamentos maiores entre seus jogos.

É importante que um lateral ou qualquer outra posição, por conta da movimentação e sincronização para conquista de espaços, se veja jogando em um determinado momento como zagueiro pelo seu lado oposto ou até mesmo no período longo de bola corrida, na extrema oposta da sua posição original, então o “ambidestrismo” é um fundamento obrigatório que tem que ser adquirido nas Divisões de Base, para que um jovem possa se tornar um jogador de elite.

Uma vez o conceito seja entendido e aceito, há de se ter uma metodologia de avaliação ampla e profunda das potencialidades de cada jovem e para aqueles selecionados, um plano de aperfeiçoamento e aquisição dos fundamentos exigidos por todas as posições.

Um outro ponto que merece um planejamento é a da situação no jogo em que se deve reagrupar o time para seu posicionamento inicial ou original se assim preferirem.

É claro que nas situações de bolas paradas a seu favor, isso pode e deve ser feito de forma completa, mas nas do adversário, haverá muitas situações que nem sempre será possível e provavelmente somente dará para fazer uma recomposição parcial, dada a pressa da ação momentânea do adversário.

 

Esse tema permite voos mais longos, pois há muito que se explorar dentro da ideia de como o implantar e o desenvolver, mas estou convencido que o futuro do futebol passa por essa ideologia e quem der o primeiro passo, estará na frente dos demais, pois um time com essa dinâmica de sincronismo, se torna um tsunami de força avassaladora.

 

Em síntese, se alguém sai eu entro ou se está livre eu ocupo nas ações ofensivas ou se o adversário está livre eu marco, se ele se desloca eu o acompanho nas ações defensivas

 

Luiz Sergio Cunha

 

 

 

 

 

 

SYNC

 

Since I was a boy, the synchronized movement effect fascinates me.

In the Vila Isabel neighborhood, in Rio de Janeiro in the 1950s, on the slopes of its hills, it was common to see the flock of birds that took different shapes in space, with sudden changes of direction, without any shock.

The same phenomenon I witnessed through films of fishing with shoals.

As a teenager, I witnessed a performance by the Banda dos Fuzileiros Navais at Maracanã, before the start of a game by our team, and I saw that it was also possible for us to juggle with humans.

Time passed and I became sixty-year-old and my sport became dancing and then I realized that in a crowded hall, people dance the waltz, whose choreography requires turning to one side and then the other with their partner and even with almost no space, the collisions between the different couples are rare and it was then that I realized that synchronism is an atavism, a reflexive premonition that we carry with us.

If this can be achieved in a hall full of seniors, why is it not possible in a field with considerable spaces for young athletes in the splendor of their physical abilities.

I began to observe no longer the game itself, holding on to each move, but the movement that comes next, extremely important, because it is the one who creates the passing options, this fundamental that I consider the most important of all in the practice of football, because a team that does not miss passes becomes invincible, as it will spend the game creating numerous situations to get in the face of the opposing goalkeeper and no matter how bad the quality of finishing of its players is, many goals will be scored.

From my observation, I concluded that there is an axiom or a kind of natural law that governs this movement action that I titled as “if he leaves, I enter”, that is, that every space left free by a companion or opponent, must be occupied. , because football is a sport of territorial conquest.

So, I also realized that to exercise this type of synchronized movement, players need to be versatile, because a defender in the course of prolonged movement can become an attacker and an attacker can become a defender, because the movement must have the same systematic for both offensive and defensive actions, establishing a rotation between the team's components and the moments of dead balls will allow the rearrangement of the team according to the initial tactical grouping posture.
To this end, the figure of the specialist player in a position must be changed to that of the multipurpose and this is only possible with the enrichment of the fundamentals domain, through specific training by all the components of the squad, except for the goalkeepers, who keep their position more, but who will have to master many fundamentals, not only with their hands, but also with their feet.
There is, as in every story that goes well, a downside and in our case, it is due to the limited availability of training.
A top team in Brazilian football, participates in its State Championship, the Brazilian Championship, the Copa Brasil and an international tournament, whether it's the Conmebol Cup or the Libertadores and if it wins this, still in the Club World Tournament, in addition to the Recopa
Simply put: given the travel and commitments of playing twice a week, there is no time for training to improve fundamentals, but only to maintain physical shape and schematics to face opponents.
Thus, this mastery of the fundamentals in general is only possible to work in the Base Divisions, which have a smaller volume of competitions and greater spacing between their games.
It is important that a side or any other position, due to the movement and synchronization to conquer spaces, sees himself playing at a given moment as a defender for his opposite side or even in the long period of running ball, in the extreme opposite of his position. original, so ambidexterity is a mandatory foundation that has to be acquired in Grassroots Divisions, so that a young man can become an elite player.
Once the concept is understood and accepted, there must be a methodology for broad and deep evaluation of the potential of each young person and, for those selected, a plan for improvement and acquisition of the fundamentals required by all positions.
Another point that deserves planning is the situation in the game in which the team must be regrouped to its initial or original position if they prefer.
Of course, in dead ball situations in your favor, this can and should be done completely, but in the opponent's situations, there will be many situations that will not always be possible and will probably only be possible to make a partial recomposition, given the rush of action. opponent's moment.
This theme allows for longer flights, as there is much to explore within the idea of ​​how to implement and develop it, but I am convinced that the future of football depends on this ideology and whoever takes the first step will be ahead of the others, because a team with this dynamic of synchronism becomes a tsunami of overwhelming force.
 
In summary, if someone goes out, I come in or if they are free, I occupy them in offensive actions, or if the opponent is free, I mark, if they move, I accompany them in defensive actions.
 
Luiz Sergio Cunha

 

 
 
 

 

 

 



LUIZ SERGIO CUNHA

jorgeluiz

Desde 05/2008 • 15 anos de CANAL
Brasilia/DF

Garrincha


Em 20/02/2023 às 17:15
 

Desde menino que o efeito de movimento sincronizado me fascina.

No Bairro de Vila Isabel, no Rio de Janeiro dos anos 50, nas encostas

de seus morros, era comum vermos a revoada de pássaros que tomavam

diversas formas no espaço, com mudanças bruscas de direções, sem ocorrência

de nenhum choque.

 

O mesmo fenômeno eu presenciei através de filmes de pescas submarinas com os cardumes.

Já adolescente, presenciei no Maracanã, antes do início de um jogo de nossa seleção, uma exibição

da Banda dos Fuzileiros Navais e vi que era possível também fazermos esses malabarismos com humanos.

 

O tempo passou e me tornei sexagenário e meu esporte praticado passou a ser dançar e aí percebi que num

salão lotado, as pessoas dançam a valsa, cuja coreografia exige rodar para um lado e depois para o outro com

sua parceira e mesmo quase sem espaço, são raras as trombadas entre os diferentes casais e foi então que

percebi que o sincronismo é um atavismo, uma premonição reflexiva que trazemos conosco.

 

Se isso pode ser obtido num salão lotado por idosos, porque não é possível ser obtido num campo com

espaços consideráveis por jovens atletas no esplendor de suas capacitações físicas.

 

Comecei a observar não mais o jogo em si, me prendendo a cada lance, mas na movimentação que lhe

avizinha, extremamente importante, pois é ela quem cria as opções de passe, esse fundamente que

considero o mais importante de todos na prática do futebol, pois uma equipe que não erra passes, se

torna invencível, pois passará o jogo criando inúmeras situações de chegar na cara do goleiro adversário

e por pior que seja a qualidade de finalização de seus jogadores, muitos gols irão ser marcados.

 

Dessa minha observação, concluí que há um axioma ou uma espécie de lei natural que comanda essa ação

de movimentação que resumi como “se ele sai, eu entro”, ou seja, que todo espaço deixado livre 

por um companheiro ou adversário, deve ser ocupado, pois o futebol é um esporte de conquista territorial.

 

Assim, também percebi, que para exercer esse tipo de movimentação sincronizada, os jogadores precisam

ser polivalentes, pois um zagueiro no desenrolar da movimentação prolongada, pode se tornar um atacante

e um atacante se tornar um zagueiro, pois a movimentação deve ter a mesma sistemática tanto para ações

ofensivas como para defensivas, estabelecendo um rodízio entre os componentes da equipe e os momentos

de bolas paradas é que permitirão a reorganização da equipe conforme a postura de agrupamento tático inicial.

 

Para tal, a figura do jogador especialista em uma posição, deve ser modificada para a do polivalente, exceto

o goleiro, ápice das ações defensivas, que deve guardar mais a sua posição e isso só é possível com o

enriquecimento do domínio de fundamentos, através de treinamentos específicos por parte de todos os

componentes do elenco, até mesmo para os goleiros, que terão que dominar muitos fundamentos, não só

com as mãos, mas também com os pés.

 

Há, como em toda história que vai bem, um senão e no nosso caso, ele é decorrente da pouca disponibilidade

de treinos.

 

Uma equipe de ponta no futebol brasileiro, participa de seu Campeonato Estadual, do Campeonato Brasileiro,

da Copa Brasil e de um Torneio internacional, seja a Copa da Conmebol ou a Libertadores e se for vencedora

desta, ainda do torneio Mundial de clubes, além da Recopa.

 

Simplificando: face as viagens e compromissos de jogarem duas vezes na semana, não há tempo para

treinos de aperfeiçoamento de fundamentos, mas apenas de manutenção de forma física e dos esquemáticos

para enfretamento dos adversários e assim sendo o período de pré-temporada tem que ser muito bem

aproveitado por todos.

 

Isso nos leva ao fato que esse domínio dos fundamentos em geral, só é possível de trabalhar nas Divisões de

Base, que possuem um volume menor de competições e espaçamentos maiores entre seus jogos.

 

É importante que um lateral ou qualquer outra posição, por conta da movimentação e sincronização para

conquista de espaços, se veja jogando em um determinado momento como zagueiro pelo seu lado oposto

ou até mesmo no período longo de bola corrida, na extrema oposta da sua posição original, então

o “ambidestrismo” é um fundamento obrigatório que tem que ser adquirido nas Divisões de Base,

para que um jovem possa se tornar um jogador de elite.

 

Uma vez o conceito seja entendido e aceito, há de se ter uma metodologia de avaliação ampla e

profunda das potencialidades de cada jovem e para aqueles selecionados, um plano de aperfeiçoamento

e aquisição dos fundamentos exigidos por todas as posições.

 

Um outro ponto que merece um planejamento é a da situação no jogo em que se deve reagrupar o time

para seu posicionamento inicial ou original se assim preferirem.

 

É claro que nas situações de bolas paradas a seu favor, isso pode e deve ser feito de forma completa,

mas nas do adversário, haverá muitas situações que nem sempre será possível e provavelmente somente

dará para fazer uma recomposição parcial, dada a pressa da ação momentânea do adversário.

 

 Esse tema permite voos mais longos, pois há muito que se explorar dentro da ideia de como o implantar

e o desenvolver, mas estou convencido que o futuro do futebol passa por essa ideologia e quem der o

primeiro passo, estará na frente dos demais, pois um time com essa dinâmica de sincronismo, se torna

um tsunami de força avassaladora.

 

 Em síntese, se alguém sai eu entro ou se está livre eu ocupo nas ações ofensivas ou se o adversário

está livre eu marco, se ele se desloca eu o acompanho nas ações defensivas.

 

Luiz Sergio Cunha

 

 

 

 

 

 

SYNC

 

Since I was a boy, the synchronized movement effect fascinates me.

In the Vila Isabel neighborhood, in Rio de Janeiro in the 1950s, on the slopes of its hills, it was common to see the flock of birds that took different shapes in space, with sudden changes of direction, without any shock.

The same phenomenon I witnessed through films of fishing with shoals.

As a teenager, I witnessed a performance by the Banda dos Fuzileiros Navais at Maracanã, before the start of a game by our team, and I saw that it was also possible for us to juggle with humans.

Time passed and I became sixty-year-old and my sport became dancing and then I realized that in a crowded hall, people dance the waltz, whose choreography requires turning to one side and then the other with their partner and even with almost no space, the collisions between the different couples are rare and it was then that I realized that synchronism is an atavism, a reflexive premonition that we carry with us.

If this can be achieved in a hall full of seniors, why is it not possible in a field with considerable spaces for young athletes in the splendor of their physical abilities.

I began to observe no longer the game itself, holding on to each move, but the movement that comes next, extremely important, because it is the one who creates the passing options, this fundamental that I consider the most important of all in the practice of football, because a team that does not miss passes becomes invincible, as it will spend the game creating numerous situations to get in the face of the opposing goalkeeper and no matter how bad the quality of finishing of its players is, many goals will be scored.

From my observation, I concluded that there is an axiom or a kind of natural law that governs this movement action that I titled as “if he leaves, I enter”, that is, that every space left free by a companion or opponent, must be occupied. , because football is a sport of territorial conquest.

So, I also realized that to exercise this type of synchronized movement, players need to be versatile, because a defender in the course of prolonged movement can become an attacker and an attacker can become a defender, because the movement must have the same systematic for both offensive and defensive actions, establishing a rotation between the team's components and the moments of dead balls will allow the rearrangement of the team according to the initial tactical grouping posture.
To this end, the figure of the specialist player in a position must be changed to that of the multipurpose and this is only possible with the enrichment of the fundamentals domain, through specific training by all the components of the squad, except for the goalkeepers, who keep their position more, but who will have to master many fundamentals, not only with their hands, but also with their feet.
There is, as in every story that goes well, a downside and in our case, it is due to the limited availability of training.
A top team in Brazilian football, participates in its State Championship, the Brazilian Championship, the Copa Brasil and an international tournament, whether it's the Conmebol Cup or the Libertadores and if it wins this, still in the Club World Tournament, in addition to the Recopa
Simply put: given the travel and commitments of playing twice a week, there is no time for training to improve fundamentals, but only to maintain physical shape and schematics to face opponents.
Thus, this mastery of the fundamentals in general is only possible to work in the Base Divisions, which have a smaller volume of competitions and greater spacing between their games.
It is important that a side or any other position, due to the movement and synchronization to conquer spaces, sees himself playing at a given moment as a defender for his opposite side or even in the long period of running ball, in the extreme opposite of his position. original, so ambidexterity is a mandatory foundation that has to be acquired in Grassroots Divisions, so that a young man can become an elite player.
Once the concept is understood and accepted, there must be a methodology for broad and deep evaluation of the potential of each young person and, for those selected, a plan for improvement and acquisition of the fundamentals required by all positions.
Another point that deserves planning is the situation in the game in which the team must be regrouped to its initial or original position if they prefer.
Of course, in dead ball situations in your favor, this can and should be done completely, but in the opponent's situations, there will be many situations that will not always be possible and will probably only be possible to make a partial recomposition, given the rush of action. opponent's moment.
This theme allows for longer flights, as there is much to explore within the idea of ​​how to implement and develop it, but I am convinced that the future of football depends on this ideology and whoever takes the first step will be ahead of the others, because a team with this dynamic of synchronism becomes a tsunami of overwhelming force.
 
In summary, if someone goes out, I come in or if they are free, I occupy them in offensive actions, or if the opponent is free, I mark, if they move, I accompany them in defensive actions.
 
Luiz Sergio Cunha

 

 
 
 

 

 

 



LUIZ SERGIO CUNHA





   BOTAFOGO COM VISÃO DAS ÁGUIAS...RENASCEMOS DO FOGO...PELO FOGO...PARA O FOGO...

jorgeluiz

Desde 05/2008 • 15 anos de CANAL
Brasilia/DF

Garrincha


Em 20/02/2023 às 17:23
 

Prezado Cunha, 

 

Com a sua aquiescência, apenas me limitei a dar uma formatada no texto

em português, pois lendo-o, vi que era de muito bom grado. 

 

E assim, pelo fato de ter excedido a margem direita, dificultando a leitura "aparei" 

da minha forma e gosto. 

 

Espero não ter sido inoportuno por tornar seu rico relato mais aprazível para

degustar, lendo-o, todos nós. 

 

Já o texto em inglês preferi não modificar. 

 

Abraços e saudações botafoguenses. 





   BOTAFOGO COM VISÃO DAS ÁGUIAS...RENASCEMOS DO FOGO...PELO FOGO...PARA O FOGO...

lscunha

Desde 12/2007 • 15 anos de CANAL
Blumenau/SC

Garrincha


Em 20/02/2023 às 19:33
 


Jorge Luiz,

obrigado.

eu tentei fazer isso mas não consegui.

foi a primeira vez que uma publicação se alargou em relação ao padrão normal.

essa é a minha ideia do tão falado e desconhecido Botafogo Way e para o tornar viável, o CT para a base e imperativo e mais importangte que o CT para os profissionais, pois a dinâmica de sincronismo e alicerçada na polivalência, deve ter sua origem já nos fraldinhas, pois requer um planejamento de treinamentos, que face as viagens, impedem de serem desenvolvidas no estágio do time principal.

tenho ideias de como fazer isso  gostaria de conversar com alguém da SAF sobre esse assunto e espero que alguém leia a ideia e esse contato venha a acontecer. 

lscunha 





LUIZ SERGIO CUNHA

 
Páginas:

Fórum CANALBOTAFOGO - O Seu portal do Botafogo de Futebol e Regatas